Reencarnação animal: entenda o que acontece com o seu pet segundo o espiritismo!

Os bichos de estimação podem reencarnar junto dos humanos com os quais conviveram?

Por Redação Papo Feminino - 04/04/2014

Estando no reino animal, o espírito (essência de vida), reencarna por infinitas vezes em grupos diversos de espécies, de acordo com a programação daqueles espíritos, cuja responsabilidade é acompanhar a evolução destas linhagens. Isto é, a essência de vida que hoje anima um cachorro, pode, em algum momento de sua existência, já ter reencarnado ou estar programado para reencarnar em outros grupos de espécies ou raças. Mas há regras a serem respeitadas e seguidas. Segundo as informações do plano espiritual a Allan Kardec, o espírito não retroage em sua caminhada, apenas vai rumo à evolução. Um animal doméstico certamente não reencarnará em ambiente selvagem, uma vez que, ele já conquistou “conhecimentos” que o diferenciam dos irmãos da selva. A própria convivência com a raça humana já é, para o animal doméstico, uma grandiosa experiência. Então acalme-se! O seu gatinho, cachorrinho ou passarinho, tratados com tanto carinho, certamente, quando desencarnarem irão reencarnar em grupos de animais, cuja espécie esteja na mesma faixa de evolução.

Os animais no Plano Espiritual

Em seus livros (Coleção Mundo Espiritual, FEB Editora), através da psicografia de Chico Xavier, André Luiz abordou a existência de animais no Plano Espiritual, aguçando a curiosidade dos leitores e estudiosos sobre o assunto. Segundo ele, os animais o habitam, sim. Mas não o animal como conhecemos no plano físico. Os animais, quando desencarnam, conservam a sua consciência espiritual rudimentar, o aprendizado e a experiência útil para sua evolução, mas o perispírito ainda se mantém na sua forma primitiva e carrega, em si, fragmentos deste plano primitivo. Assim ensinou Kardec ao abordar a questão da reencarnação dos animais, no Livro dos Espíritos, pergunta 598: -“A alma dos animais conserva depois da morte sua individualidade e a consciência de si mesmo? – Sua individualidade, sim, mas não a consciência do seu eu. A vida inteligente permanece no estado latente”. Entendemos que os animais são recebidos no Plano Espiritual por equipes designadas para este fim e colocados automaticamente para reencarnação. Outros ainda, domesticados, servem de instrumento aos benfeitores espirituais, sendo utilizados em trabalhos de resgate a desencarnados e em terapias em espíritos recém-chegados no plano físico. Como em momentos mostrados por André Luiz em suas obras: de cães puxando trenós relatados em Nosso Lar e de aves de monstruosa configuração no livro Obreiros da Vida Eterna nos arredores da Colônia.

Meu fiel companheiro

Algumas pessoas se perguntam se elas, ao desencarnar, se encontrarão com os animais que lhes foram de estimação em vida, matando assim a saudade, que acumulou durante o tempo em que ficaram separados. Esta é uma possibilidade pouco provável, segundo informações da Espiritualidade, uma vez que o animal não conserva sua consciência ativa após o desenlace do corpo físico. Ao adentrar o mundo espiritual, sua consciência adormece, ficando à disposição da espiritualidade para as funções que ela achar conveniente: reencarnar ou permanecer à disposição no Plano Espiritual a trabalho. Vejamos os ensinamentos dos espíritos na questão 600 de O Livro dos Espíritos: “A alma do animal, sobrevivente ao corpo, está depois da morte em um estado errante como a do homem? – É uma espécie de erraticidade, visto que não está unida ao corpo, mas não é um espírito errante. O espírito errante é um ser que pensa e age por sua livre vontade, sendo a consciência de si mesmo seu atributo principal. A alma dos animais não tem a mesma faculdade. “O espírito do animal é classificado, depois da sua desencarnação, pelos espíritos que a isso compete, e quase imediatamente utilizado (para reencarnação), não tendo tempo de se colocar em relação com outra criaturas”.

De volta para casa

Tudo bem que a saudade não possa ser aplacado, No Plano Espiritual, por um encontro promovido do dono com seu animal de estimação. Mas existem carinhos da Espiritualidade que vêm em forma de coincidências da vida. Podendo um animal reencarnar em um novo filhote, vindo a ter contato com a mesma família que ele tinha, enquanto animava outro bichinho.

LEIA TAMBÉM