Protagonismo feminino: 15 filmes e série para se sentir representada

15 filmes e séries com protagonismo feminino para se sentir representada

Confira uma lista de produções que servem de inspiração e empoderamento

protagonismo feminino
Foto: Divulgação

Todo dia é dia de exaltar uma mulher! E não há nada melhor do ressaltar alguns filmes e séries que tem feito muito sucesso e que contam com protagonismo feminino, à frente e por trás das câmeras. Cada vez mais grandes produções tem evidenciado narrativas menos exploradas no cinema e na mídia e o resultado disso é puro orgulho e representatividade nas telas.

Inserir esses personagens nas tramas nos faz refletir sobre os motivos pelos quais eles não estavam lá em um primeiro momento e nos desafia a enxergar o mundo de uma nova maneira, já que perspectivas completamente diferente são apresentadas.

15 produções que dão um show de protagonismo feminino

Foto: Divulgação

1. ‘Sex Education’

Criada pela escritora inglesa Laurie Nunn, a série aborda temáticas vistas há muitas gerações como “complicadas” de forma leve e descontraída. Ainda assim, não pense que alguns dos assuntos trazidos no roteiro sejam tratados em tom de piada. O seriado escancara algumas realidades bastante dolorosas, especialmente para as mulheres, que mesmo com as adversidades permanecem juntas, fortes, sensíveis, vulneráveis e livres.

2. ‘La Casa de Papel’

Ainda que o seriado seja composto majoritariamente por homens, as três mulheres protagonistas (Tokio, Nairóbi e Raquel) roubam a cena a todo momento enquanto o grupo de assaltantes luta para que o plano de roubar a Casa da Moeda espanhola dê certo.

3. ‘Dear White People’

De temática extremamente necessária, a série mostra a divisão entre negros e brancos em uma Universidade norte-americana. Samantha White, Coco Conners, Joelle Brooks, Kelsey são alguns exemplos do protagonismo feminino da produção, que evidencia como mulheres completamente diferentes podem conviver entre si mesmo com suas particularidades.

4. ‘Grey’s Anatomy’

Estrelada pela icônica Meredith Grey, o seriado médico mais longo da história, exibe a vida de uma residente que luta para acender em sua carreira dentro de um dos hospitais mais renomados dos Estados Unidos. Tudo isso com muito drama envolvido, claro!

protagonismo feminino

Foto: Divulgação

5. ‘How to Get Away With Murder’

Viola Davis interpreta a professora universitária e advogada renomada Annalise Keating, que reúne cinco de seus melhores alunos para trabalhar com ela em seu escritório de Direito. A personagem dura vai se revelando mais frágil enquanto a turma de advogados se envolve m crimes de assassinatos.

6. ‘Coisa Mais Linda’

Maria Casadevall dá vida a Malu. A personagem se muda ao rio de Janeiro para abrir um restaurante com o marido, mas resolve fugir e roubar todo o seu dinheiro. Ao conhecer a cantora Adélia e a escritora Thereza, Maria Luiza resolve abrir seu próprio clube noturno de bossa nova.

7. ‘Orange Is The New Black’

Baseada em fatos reais, a série conta a história de Piper Chapman, uma mulher que é presa por um crime de tráfico de drogas que cometeu há anos. Na cadeia, a personagem é detenta junto com outras mulheres que cumprem pena no presídio feminino norte-americano em uma trama que mistura drama e comédia na medida certa.

8. ‘The Handsmaid’s Tale’

Após a morte do presidente dos Estado Unidos por conta de atentado terrorista, uma facção católica toma o poder com o objetivo de selar a paz. Porém, o grupo instaura um regime autoritário baseado no Antigo Testamento e retira os direitos das minorias e especialmente das mulheres. Na trama, elas são divididas entre Esposa, Aia e Martha. A última exerce função de serva e as Aias (mulheres férteis) são utilizadas exclusivamente para gerar filhos, já que muitas não conseguem mais engravidar por conta de problemas ambientais.

9. ‘Glow’

A história acompanha Ruth (Alison Brie), uma atriz que não consegue mostrar o seu potencial em testes e audições. Depois de receber muitos “nãos”, a personagem resolve se aventurar e entrar para um grupo de lutadoras mulheres, que acaba se tornando um programa de TV.

Foto: Divulgação

10. ‘As Telefonistas’

A série conta a história de mulheres que trabalham na companhia telefônica da cidade,  que está investindo em novas tecnologias para avançar a comunicação mundial. Paralelamente, movimentos sufragistas começa a tomar conta das ruas. O conteúdo gera questionamento e reflexões sobre o feminismo e a falta de igualdades que permeia gerações.

11. ‘Boneca Russa’

A produção original da Netflix aborda temas inusitados e teorias sobre a física de forma leve e natural. Na série, a protagonista percebe que todas as vezes que decide deixar o evento em que está, acaba morrendo. Com isso, ela tenta encontrar um jeito de escapar dessa realidade e entender o que está acontecendo.

12. ‘When They See Us’

Na minissérie, é relatada a história de uma corredora que apanhou e foi estuprada há 30 anos no Central Park, em Nova York. Em uma tentativa falha de resolver o caso, foram presos cinco adolescentes -todos negros- Antron McCray, Kevin Richardson, Yusef Salaam, Raymond Santana e Korey Wise, que ficaram presos até 2002 por um crime que não cometeram.

13. ‘A gente se vê ontem’

O longa de ficção-científica produzido pela Netflix tem como protagonista Eden Duncan-Smith, uma menina negra que v~e seu irmão ser morto injustamente e usa de sua inteligência superdotada para criar uma máquina do tempo e tentar salvá-lo.

14. ‘Fleabag’

Aclamadíssima pela crítica especializada, a série criada e protagonizada por Phoebe Waller-Bridge (Fleabag), conta a história de uma jovem adulta que tenta lidar com os problemas da vida, mas que se recusa a aceitar a ajuda daqueles que estão à sua volta para manter sua fama de intimidante intacta.

protagonismo feminino

Foto: Divulgação

15. ‘Aves de Rapina: Arlequina e sua Emancipação Fantabulosa’

O longa mostra a trajetória de Arlequina após o rompimento de seu relacionamento com o ex, Coringa. Com o fim, ela se alia a outras mulheres para enfrentar o perigoso Máscara Negra, sair da fossa e recriar sua própria imagem para a sociedade. Além disso, o filme tem seu roteiro e direção totalmente assinados por mulheres. Com certeza uma das recomendações com mais protagonismo feminino!

Leia também: