Mulheres inspiradoras: conheça a história de Marta Silva, a melhor jogadora do mundo

Com seis títulos de melhor do mundo, a jogadora ultrapassa grandes nomes como Cristiano Ronaldo e Lionel Messi

Marta Silva, jogadora de futebol, com a taça de melhor do mundo nas mãos
Por Laylla Fiore - 10/06/2019

Foto: Reprodução/Instagram

Nascida em Dois Riachos, no interior do estado de Alagoas, Marta Silva é inspiração para as mulheres do mundo todo. Marta, como ficou conhecida, é jogadora de futebol e já conquistou os títulos de Maior Artilheira da História da Seleção Brasileira (masculina e feminina) e foi seis vezes considerada pela FIFA a melhor jogadora de futebol feminino do mundo, ultrapassando jogadores como Cristiano Ronaldo e Lionel Messi.

Infância pobre

Nascida em 19 de fevereiro de 1986, a alagoense tem origem humilde. Cresceu sem o pai, que abandonou a mulher e seus 4 filhos quando Marta tinha apenas 1 ano de idade. Desde então, foi criada pela mãe e pela avó, que foram grandes inspirações em sua vida.

Em entrevista a Agência EFE, Marta contou que, entre as peladas que jogava em seu bairro na infância, o preconceito já era evidente.”Eu percebia que jogava melhor que os meninos e isso, de certa maneira, gerava ódio, discórdia. Os meninos não aceitavam, me humilhavam, diziam que eu tinha que parar de jogar”, disse.

Marta Silva, que chegou a passar fome enquanto ainda morava em Alagoas, não perdeu a resiliência e continuou fazendo aquilo que mais gostava na vida. “Todos, incluindo meus irmãos, falavam mal de mim. Foi muito difícil. Eu só queria jogar com eles. Os comentários das pessoas me deixavam realmente triste, mas nunca até o ponto de não querer mais jogar futebol”.

A cada passo que dava em direção aos estádios, maior era o sofrimento e a discriminação enfrentada. Entre jogos descalços e gols amadores, a pequena jogadora se manteve forte diante de todas as barreiras que eram impostas à ela.

Primeira peneira

Com dedicação, Marta Silva nunca deixou de lutar por seu grande sonho. A história profissional da campeã de 32 anos começou cedo, no ano 2000, quando deu início à carreira pelo time Vasco da Gama, do Rio de Janeiro. Depois de passar por algumas transações internas do clube, a jogadora foi contratada pela Umeå IK, da Suécia, no ano de 2004.  Foi jogando pelo time sueco que Marta conquistou a Liga dos Campeões de Futebol Feminino da UEFA.

Ganhando cada vez mais destaque na mídia, a jovem Marta mostrou sua garra, coragem e força lutando contra o preconceito, a opressão e o machismo que surgiam a cada nova vitória. Em 2008, ganhou pela primeira vez o título de melhor do mundo e, logo após, foi contratada pelo time americano Los Angeles Sol, onde foi artilheira da liga nacional.

Depois de conquistar sua fama internacionalmente, Marta Silva retornou ao Brasil, emprestada para o time do Santos. Lá, a jogadora disputou e venceu a Copa Libertadores Feminina e a Copa do Brasil.

Camisa 10 da Seleção

Mas, afinal, quando começou a história de Marta pela Seleção Brasileira de Futebol? A resposta está bem antes de sua contratação pelo Santos. Já em 2003, com apenas 3 anos de carreira, a jogadora disputou os Jogos Pan-Americanos e subiu ao pódio para receber a medalha de ouro. Em 2004, foi prata nos Jogos Olímpicos.

Em 2007, na Copa do Mundo de Futebol Feminino, Marta Silva foi a vencedora da Bola de Ouro e levou o Brasil à segunda colocação no campeonato. Oito anos depois, a jogadora superou o ‘pai’ do futebol Brasileiro, Pelé, completando 117 gols com a camisa verde-amarela.

Marta Silva é a melhor jogadora de futebol do mundo

Foto: Reprodução/Instagram/@martavsilva10

A luta por reconhecimento de Marta Silva

Atualmente defendendo a camisa do time Orlando Pride, muito se fala sobre a desvalorização do sexo feminino no esporte ao redor do mundo. Apesar de ter mais títulos que os homens do futebol, Marta recebe um salário muito abaixo da média e não é reconhecida como melhor do mundo por muitos fanáticos da modalidade.

Com poucos jogos televisados, baixo patrocínio e falta de apoio, o futebol feminino não está nos holofotes da mídia, mas isso nunca foi motivo para desmotivar Marta Silva. “Eu realmente consegui fazer o que eu sempre quis fazer e eles sentem orgulho de mim. Não ganho o que ganha um homem, mas a parte financeira melhorou um pouco”, confessou.

Mostrando o que sabe fazer de melhor, a conquista por espaço ocorre aos poucos, com muito esforço. Com o sexto título The Best FIFA nas mãos, a jogadora é a prova de que mulheres são capazes de conquistar seus sonhos e se tornarem inspiração para toda a sociedade mundial.

“Agora podemos (ela e família) comer todos os dias! Isso é uma grande evolução. Minha história de vida, de luta, de perseverança, de vontade, me transforma em um grande exemplo. Isso, realmente, é o que faz com que me sinta mais orgulhosa”, afirma Marta.

LEIA TAMBÉM: