Entrevista com Jayme Matarazzo

O ator fala do orgulho que sente do pai, o diretor Jayme Monjardim

Por Amanda Araújo - 05/06/2012

Entrevista com Jayme Matarazzo

Foto: Ricardo Leal / Colaborador

 

Apesar de ser filho de Jayme Monjardim, um dos diretores mais desejados da Rede Globo, Jayme Matarazzo não se incomoda com as comparações em relação  ao seu trabalho. Pelo contrário, o ator não esconde o orgulho que sente pelo pai. “Para mim, isso é uma coisa tão simples de lidar e é tão tranquilo ser o filho do meu pai, é tão bom!” De visual novo – o ator deixou os cachinhos de lado e adotou um visual mais de bad boy– Jayme comemora o terceiro trabalho na tevê.  O ator interpreta o Rodinei de Cheias de Charme. Nesta entrevista, Jayme fala sobre a preparação para este novo personagem, comenta sobre a novela e revela alguns detalhes do futuro de Rodinei. “Além da Cida e da Brunessa, o Rodinei vai ter um terceiro amor”, afirma o ator. Quem será? Confira o bate-papo:

Guia da TV: Existe alguma coisa em comum entre você e o Rodinei?
Jayme: “Eu acho que todo ator empresta um pouco para o personagem. O Rodinei também gosta de arte assim como eu. Gosto de desenhar, gosto de grafite. Estou emprestando isso para o Rodinei, assim como ele me empresta e me ensina um monte de coisa.”

Guia da TV: E o lado mulherengo dele?
Jayme: “Não, não. Não me comprometa. Eu sou tranquilo!”

Guia da TV: Ele vai ser sempre do bem ou vai ter algum desvio?
Jayme: “Ele é do bem, mas um pouco ingênuo. Ele cai na tentação e acaba traindo a Cida. Mas fora isso, ele é do bem.”

Guia da TV: E como é essa relação com a Brunessa?
Jayme: “É uma pegada quente, é uma relação quente entre os dois. Mas esse é o segundo caso de amor dele. Além da Cida e da Brunessa, o Rodinei vai ter um terceiro amor. Isso vai acontecer mais para frente, mas logo vocês vão descobrir.”

Guia da TV: E esse cabelo curtinho foi para personagem?
Jayme: “Foi para o personagem, mas estou adorando. Faz menos calor.”

Guia da TV: E esse aspecto popular da novela de ter três domésticas como protagonistas. O que você acha que isso traz de ganho para a televisão brasileira?
Jayme: “Acho ótimo! Acho que estamos retratando uma parcela enorme da nossa sociedade, que é a galera da classe média baixa. Eu acho que hoje é a maior porcentagem da nossa sociedade. Isso é muito bom! É bom você se colocar num mundo mais simples e é que é tão rico de cultura, tão rico de informação, com uma diversidade tão bonita de cultura. Eu acho que a gente vai explorar esse lado: a diversidade cultural. Estamos fazendo uma novela simples, popular, um diálogo popular, um texto simples. Uma novela para todos, para classe média, para classe alta e para classe baixa.”

Guia da TV: Você fez aulas de hip hop?
Jayme: “Tive algumas aulas de dança. Eu sou bem eclético em relação à música. Eu gosto de música que faz dançar, que faz ficar para cima, e o hip hop e o funk são ritmos com energia. Eu gosto de danças assim.”

Guia da TV: Essa é a sua terceira novela. Alguém fica querendo comparar ao seu pai?
Jayme: “Eu acho que comparação nem é a palavra boa, porque as pessoas são completamente diferentes. Para mim, isso é uma coisa tão simples de lidar e é tão tranqüilo ser o filho do meu pai, é tão bom! Eu não sinto nenhum peso e sim orgulho de ser filho do meu pai. Ele me ensina, como eu ensino a ele, como uma relação de pai e filho. Ele traça o caminho dele e eu traço o meu. Um soma o outro.”

Guia da TV: Você tem vontade de trilhar esse caminho de direção mais tarde?
Jayme: “Agora eu tenho vontade de aprender tudo que eu posso como ator. Acho que devo  fazer uma coisa de cada vez na vida. Estudei direção sim, gosto de olhar para uma obra como um todo.  Acho que lá para frente, pode ser uma profissão sim. Mas agora eu sou ator, estou amando o que faço, estou me dedicando a isso. Acho que assim é que é legal, não se atropelar. Vamos esperar.”