Entenda a compulsão alimentar e descubra como ela se manifesta

Quando a vontade de comer vai bem além da fome, alguma coisa pode estar errada. Entenda a compulsão alimentar e como a doença se manifesta!

FOTO: Shutterstock.com

A doença é caracterizada pela ingestão exagerada de alimentos, perda de controle sobre o que está sendo ingerido e sobre a quantidade. “A caracterização mais importante da compulsão alimentar é que o ato de ingerir alimentos é, na maioria das vezes, independentemente da sensação de fome ou da necessidade física, ou seja, a pessoa que tem episódios de compulsão alimentar não necessariamente está com muita fome ou está há muito tempo sem comer”, explica a nutricionista Talitta Maciel. Saiba a seguir quais são os principais sintomas, tratamentos e entenda a compulsão alimentar!

Sintomas

Comer demais esporadicamente é algo completamente normal. Porém, se torna um problema quando esse hábito foge do controle, transformando a pessoa dependente da comida. A partir do momento em que o indivíduo passa a se alimentar com mais frequência do que precisa, mesmo quando não sente fome, há um sinal de que ele pode ser compulsivo por alimentos. transformando a pessoa dependente da comida.

 

Muito além da fome, a compulsão alimentar é um problema psicológico que pode gerar diversos desequilíbrios na saúde. FOTO: Shutterstock.com

Como tratar

Os tratamentos indicados são: acompanhamento psicológico, dietético e, se necessário, psiquiátrico e farmacêutico, voltados para o controle da ansiedade. Todavia, o tratamento não pode ser resumido à medicação, pois o paciente precisa trabalhar sua mente visando deixar de aliviar sua ansiedade nos alimentos. Os exercícios físicos também são ótimas opções para desviar essa atenção, além de manterem o corpo saudável de forma geral.

Como prevenir

É possível prevenir a doença por meio de algumas técnicas simples, como ter horário fixo para cada refeição. “Ao fazer as refeições no horário certo, ela também consegue comer somente o que foi estipulado. Enquanto ao consumir alimentos por fome ou impulso, muitas vezes, a pessoa opta por coisas mais calóricas e em quantidade maior que o necessário”, explica a nutróloga Liliane Oppermann. Além disso, é bom tomar cuidado com dietas restritivas, que excluem nutrientes da alimentação, pois eles ajudam manter o corpo em equilíbrio.

 

Texto: Denis Eric/Colaborador  |  Consultoria: Liliane Oppermann, nutróloga; Talitta Maciel, nutricionista

 

LEIA TAMBÉM: