Dívidas: hábitos que você deve fugir, já!

Como fugir de hábitos que podem deixar suas finanças em perigo

fugir
Foto: Shutterstock Images

Alguns fatores, como falta de autoconhecimento, propósitos e objetivos claros, resultam em atitudes que atrapalham o desenvolvimento saudável dos hábitos financeiros e, consequentemente, em dívidas. Veja a seguir atos para você fugir, em prol da boa saúde das suas finanças:

Sempre parcelar as compras

É normal surgirem imprevistos que pedem a compra de objetos novos, como a geladeira que não vale a pena consertar. Neste momento, pode ser mais vantajoso comprar parcelado, já que você não estava preparado para arcar com mais esse gasto. Porém, na maioria das vezes, o preço parcelado é mais alto, sendo que, à vista, além de ser mais barato, você pode conseguir um desconto. Por isso, o melhor é sempre fugir de compras parceladas.

Emprestar dinheiro

Quando o assunto é empréstimo de dinheiro, o consultor empresarial Marcelo Souza salienta que é preciso separar os negócios de amizade ou parentesco. O especialista explica que, “se você tiver um bom caixa guardado e não necessitar do valor, pode emprestar. Mas calcule os riscos; veja se aquela pessoa tem condições de realizar o pagamento no prazo”. Por via das dúvidas, melhor não arriscar e fugir de uma problemão.

fugir

Foto: Shutterstock Images

Não ter reserva de emergência

Quando imprevistos acontecem, como o conserto do automóvel ou a perda do emprego de alguém importante para as finanças da casa, é importante ter uma reserva de mergência para não prejudicar as contas do mês. Assim, você não se endivida fazendo empréstimos.

Não falar sobre dinheiro

É comum famílias que tratam dinheiro como um assunto que não deve ser tocado, mas a prática é errada. Apesar de ser um tema delicado para algumas pessoas, é importante o debate, principalmente para as crianças, para que elas desenvolvam a ideia de quanto as coisas custam e a importância do consumo responsável. O ideal é que, durante a infância e a adolescência, eles tenham responsabilidades financeiras, dentro do limite da idade, como possuir uma mesada. Com o passar dos anos, os compromissos podem aumentar, resultando em uma maior consciência por parte das crianças.  Porque envolver toda a família nas finanças de casa

 

LEIA MAIS

 

Consultoria: Marcelo Souza, graduado em administração pela Faculdade Alves Faria (ALFA), consultor empresarial e sócio proprietário das empresas EED e Planoo.

Texto: Karina Alonso/Colaboradora – Edição: Natália Negretti