Decoração com sal rosa do Himalaia

Você sabia que pode colher os benefícios do sal rosa do Himalaia sem consumi-lo? Sim, é possível! E além de fazer bem para você, deixa a casa mais bonita!

Por Lirian Coelho - 15/05/2017
luminárias de sal rosa do Himalaia

O sal rosa do Himalaia traz inúmeros benefícios para ao corpo | Foto: Divulgação

O sal rosa do Himalaia traz diversos benefícios, evitando o envelhecimento precoce e equilibrando o ph no corpo humano, por exemplo. Até recentemente, o sal rosa do Himalaia era salutar somente quando consumido. Contudo, hoje já se sabe que esses pequenos grãos rosados também trazem benefícios até mesmo quando são peças decorativas. Dá para acreditar?

De acordo com a Natural Wonder, empresa que atua no desenvolvimento de produtos naturais para o bem-estar, o sal rosa do Himalaia, tratando-se de um elemento composto, pode ser trabalhado em diversas formas, como por exemplo: sal de banho, chapa de cristal, temperos, cosméticos e até mesmo peças decorativas, como portas-velas e luminárias.

As luminárias e as velas de sal rosa do Himalaia são combinações entre a luz e o sal rosa – o que gera íons negativos, que só são provocados, normalmente, em caso de ondas marinhas, quedas d’águas e até mesmo raios. Esses íons são liberados quando se toma banho de mar, ou até mesmo chuva, por isso essas situações normalmente geram uma sensação de bem-estar e renovação, pois neutralizam os íons positivos gerados por aparelhos eletrônicos com esses negativos.

Com essas novidades é possível receber esses benefícios e ainda deixar a casa mais bonita!

vela de sal rosa do himalaia

Vela de sal rosa do Himalaia com suporte | Foto: Divulgação

“Além de serem peças charmosas, que iluminam e decoram a casa, a luminária e o porta-vela de sal rosa do Himalaia trazem vida, literalmente, ao ambiente pois equilibram a ionização do local, auxiliando, inclusive, a retirar partículas de mofo, fungos e fumaça”, comenta o sócio-diretor da Natural Wonder, Andres Vicencio.

Esses produtos podem ter tons e formatos diferentes, primeiramente por serem produzidos de forma manual, esculpidos por artesãos no Paquistão, e extraído das rochas. “A cor pode variar entre vermelho e laranja por conta da presença de minerais, como ferro e manganês”, comenta a sócia-diretora da empresa, Valéria Simonini.

Consultoria: Estrela Comunicação

LEIA TAMBÉM