7 fatos históricos sobre o dia 7 de setembro que você provavelmente não sabia

Testes seus conhecimentos com essas curiosidades sobre o dia da independência do Brasil

curiosidades sobre 7 de setembro
Foto: Reprodução

Todos sabemos que no mês de setembro é comemorada a independência do Brasil, que antes pertencia à Portugal. Sempre há diversas celebrações por todo o país e o assunto é recorrente em provas e vestibulares todos os anos. No entanto, existem algumas curiosidades sobre o 7 de setembro que nem todo mundo sabe.

Em uma tarde de sábado, Dom Pedro I proclamou a independência do Brasil, mas nem tudo aconteceu da forma como foi retratada nas pinturas da época. Na verdade, existem muitos fatos da história que não foram contados, testo o seu conhecimento sobre o assunto com essas curiosidades a seguir:

Curiosidades sobre 7 de setembro que todo mundo precisa saber

Mula sim, cavalo não

Ao contrário do que muitos pensam, Dom Pedro não estava montando um lindo cavalo no dia da independência. É isso aí, o príncipe regente na verdade estava com um mula, isso porque como era uma longa viagem, os cavalos não estavam preparados para carregar tanto peso.

Nada de “independência ou morte”

Pode esquecer a famosa frase “independência ou morte”, pois não foi isso que o príncipe gritou as margens do rio Ipiranga. Na realidade, a verdadeira frase dita por ele teria sido: “Nada mais quero com o governo português e proclamo o Brasil, para sempre, separado de Portugal”.

Problemas intestinais

O dia 7 de setembro não foi uma data fácil para Dom Pedro que, durante a viagem com sua comitiva, passou a ter problemas intestinais. “Aludindo à disenteria que afetara o príncipe, era forçado a apear-se da montaria a todo momento”, descreve o historiador Otávio Tarquino de Sousa, sobre a diarreia que ele estava sofrendo.

O quadro da independência

A famosa obra pintada pelo italiano Pedro Américo, em 1888, na verdade não é completamente fiel à realidade. Além dos cavalos, outros itens estão equivocados na obra, como as elegantes roupas, que seriam impossíveis de serem usadas no clima brasileiro e da guarda imperial, que nem havia sido criada naquela época.

O preço da independência

Portugal não deixou barato a ideia do Brasil de querer independência e cobrou cerca de 2 milhões de libras esterlinas para aceitá-la. Dom Pedro teve que fazer um tratado com a Inglaterra para conseguir o valor e Portugal só reconheceu a separação em 1825, três anos depois.

O aviso de Maria Leopoldina

Maria Leopoldina, esposa de Dom Pedro, teria avisado o marido antecipadamente sobre a intenção de Portugal de recolonizar o Brasil. Ela enviou uma carta ao príncipe explicando a situação. Na ocasião, ele estava na casa de sua amante, Domitila de Castro, a Marquesa de Santos, quando recebeu o aviso.

Sem plateia

Uma das curiosidades sobre 7 de setembro é que na data não havia um grande público assistindo ao grito de independência. Na realidade, haviam oito pessoas no lugar e a guarda de Dom Pedro, composta por aproximadamente 15 pessoas.

Leia também: