Crianças agressivas: como impor limites?

Crianças podem se tornar agressivas e os pais tem que encontrar a melhor maneira de agir diante dessa situação. Confira como impor limites as crianças:

crianças-sujas
Foto: reprodução/ Shutterstock

É normal que, por vezes, as crianças se tornem agressivas, o que pode ter sérias consequências para o clima dentro de casa e para o futuro temperamento dessa criança. Conversamos com a psicanalista Elizandra Souza, para saber como agir diante do temperamento agressivo dos pequenos.

Começa em casa

De acordo com a psicanalista Elizandra Souza, a agressividade é uma forma natural de expressão da criança, algo que nasce com cada um. “Nós aprendemos a controlar a agressividade com o aprendizado dado pelos pais e pela sociedade, os famosos limites que atualmente são tão negados”, explica a especialista. “Isso significa que, ao dar limites para os filhos, os pais não estão somente proibindo algumas ações, mas também permitindo que a criança elabore formas de comportamento mais aceitáveis e respeitáveis socialmente”, completa.

Fora de controle

Quando uma criança bate, morde e se joga no chão, as pessoas à volta se sentem incomodadas e tendem a questionar: “onde estão os pais?”. Essas atitudes são socialmente inaceitá- veis e não podem ser consideradas normais pelos responsáveis pelo pequeno irritado. “A maior dificuldade é que muitos pais acham isso normal e não dão as devidas broncas. Impor limites não é ser tirano ou ruim, ao contrário, é oferecer aos filhos a possibilidade de serem pessoas melhores”, reforça Elizandra.

Previna os escândalos

Para a psicanalista, os pais tendem a ser permissivos e não valorizam seu papel. “Acham que ao dizer ‘não’ para o filho vão frustrá-lo ou impedir sua liberdade. Acontece que ninguém nasce sabendo o que é certo ou errado. Quem dá esse contraponto são os pais ou aqueles que cuidam dele”, enfatiza. Assim, a dica mais importante é dizer “não” sempre que necessário, sem esperar que o pequeno aprenda sozinho. Outro conselho é colocar as regras no dia a dia, pois a criança reproduz na rua o seu comportamento em casa. Para começar, os pais devem ser firmes com relação a horários, lugares para brincar e arrumação da bagunça, afinal, os filhos devem respeitar o que os pais decidem.

Quando procurar ajuda

Se mesmo tentando impor limites, os pais não conseguem controlar a agressividade do filho, é hora de consultar um psicólogo. A orientação também serve para quando pai e mãe não concordam com as decisões relacionadas à educação dos pequenos. Elizandra lembra que o importante é não deixar o problema se arrastar. Quanto mais cedo o processo de tratamento se inicia, mais rápidos serão os resultados. “Em muitos casos, não só as crianças precisam de acompanhamento, mas os pais também. Vale lembrar que eles têm questões particulares que acabam interferindo no relacionamento do casal ou com a criança”, alerta a psicanalista.

LEIA TAMBÉM