Conto erótico: uma tarde de sexo na biblioteca como nos livros (18+)

Uma bibliotecária, inspiradas nos contos eróticos que lê, acaba tendo um irresistível sexo na biblioteca que trabalha com um professor de literatura

Por Rafael Toledo - 18/07/2017
mulher e homem no escuro para representar uma situação de sexo na biblioteca como acompanhada no conto erótico

Foto: iStock.com/GettyImages

“Durante alguns anos, trabalhei como bibliotecária em uma das principais universidades da minha cidade. Lá, eu me sentia confortável com aquelas muralhas de livros e com o silêncio que pairava no local. O ambiente era intimista e eu me deliciava com horas de leitura nos intervalos de atendimento. Na própria biblioteca, entrei em contato com a literatura erótica. Eu me sentia excitada enquanto lia aqueles contos gigantescos sobre diversos temas que envolviam sexo. Minha libido sempre incendiou meu corpo, portanto, enquanto lia aqueles deliciosos textos, eu me sentia mais inserida naquilo que era abordado. No entanto, nunca imaginei que teria um sexo na biblioteca como aqueles que eram descritos na coleção de livros.

Em determinada manhã, estive sozinha por um bom tempo enquanto os alunos estavam em classe. Eu havia escolhido mais um volume do tipo de obra que começara a me agradar. Enquanto lia, comecei a me tocar instintivamente. Sentir minhas pernas, coxas e seios fazia com que eu encarnasse o papel das personagens que constituíam a narração. Neste momento, fui surpreendida com a entrada de um professor de literatura. Ele passou por ali para fazer o empréstimo de alguns livros e, dentre eles, estava uma obra do mesmo autor que me fizera imaginar momentos maravilhosos. Não pude deixar de comentar. Ele então percebeu que o livro encontrava-se aberto sobre minha mesa e puxou assunto. Além disso, notou que não era a primeira vez que eu buscava falar com ele.

Em outros momentos, eu demonstrei interesse naquele homem de barba e óculos, com um porte atlético, geralmente escondido em roupas largas, mas que ficava visível quando sua camisa vinha com alguns botões abertos. Seu sorriso charmoso apresentava uma certa malícia enquanto nos falávamos. Era a oportunidade que eu teria de me sentir como a protagonista do exemplar que lia.

Após o diálogo, fomos até uma das gigantescas estantes, a pedido dele, para que pegássemos um livro que faltava. Havia entendido a investida e, ainda mais, não pegaríamos apenas um livro, terminaríamos em um maravilhoso sexo na biblioteca. Em um dos ambientes mais inacessíveis de lá, pudemos desfrutar de nossos corpos. Estávamos cheios de tesão e era previsível que nos entregaríamos a isso em algum momento daquele dia.

Ele me beijou como se almejasse desfrutar inteiramente de mim. Suas mãos circundaram meus seios e não hesitou ao abrir o meu sutiã para desbravar meus mamilos. Sua língua percorreu do meu pescoço ao meu peito. Passei a mão pelo corpo dele, o qual apresentava alguns músculos salientes, e desci até sua calça que escondia o seu membro ereto. Quase não pude esconder minha excitação ao senti-lo! Abri sua calça e fiz um oral maravilhoso nele. Para me retribuir, o seu gesto foi me levantar para que pudesse se agachar e ter acesso ao zíper da minha calça. Quando aberto, ele começou a passar sua boca pela minha virilha, e meu clitóris foi excitado pelo movimento que fizera.

Não esperamos muito para aumentar o ritmo da transa. Eu virei minhas costas a ele, apoiei-me na estante e fui penetrada deliciosamente. Seu jeito de me segurar, permitiu que o sentisse conectado ao meu corpo. O orgasmo não demorou a chegar. Com muitas carícias, beijos e lambidas durante a penetração, nossos corpos extravasaram toda a tensão sexual em um orgasmo conjunto. Gozamos em questão de minutos. Nossos corpos suados se tocaram então para encerrar aquele momento. Em um abraço prolongado e em um beijo representando o prazer ainda latente de um sexo na biblioteca, pude perceber que aquele momento havia sido como um conto daquela coleção que sempre nos inspirou.”

LEIA TAMBÉM