Armários escuros: saiba como usá-los em cozinhas pequenas

Aprenda truques para apostar em armários escuros em espaços pequenos sem perder a amplitude

Fotos de duas cozinhas com armários escuros
Fotos: Walkiria D’Puig/Michelle Gelesko

O uso de cores claras em ambientes pequenos é uma estratégia muito usada para dar ideia de amplitude para um espaço. No entanto, se você deseja optar pela utilização de armários escuros – característica da arquitetura industrial – em uma cozinha pequena, isso não deve ser um problema. Confira os projetos a seguir e saiba como aplicar marcenaria e revestimentos em cores como grafite, cinza ou preto sem perder a leveza e fluidez do cômodo.

Projeto 1: Studio m+a Arquitetura e Design, Guarulhos – SP

A designer de interiores Michelle Gelesko e a arquiteta Alessandra Brandini Gomes, do Studio m+a Arquitetura e Design, tinham apenas 9,24m² para transformar a cozinha de um homem de 55 anos em um lugar moderno e espaçoso.

Funcional

O conceito aberto, que integra a cozinha à sala de estar, foi a solução encontrada pelas profissionais para otimizar a pouca metragem disponível. Uma mesa de jantar foi utilizada como divisória entre os dois ambientes, tranformando-os, assim, em um espaço 3 em 1. “Essa integração causa a impressão de uma circulação aberta”, explicam.

Leve, apesar dos armários escuros

A paleta de cores ficou por conta de tons escuros e marcantes, o que deu um ar contemporâneo ao cômodo. Apesar de a cozinha ser pequena, o fato de ser aberta e bem iluminada permitiu o uso do preto e do azul petróleo sem que isso prejudicasse a percepção de amplitude do ambiente.

Tudo em seu lugar

É preciso ter muito cuidado com as decisões na hora de planejar e decorar um cozinha pequena. Segundo Michelle e Alessandra, deve-se ter cautela para que o lugar não fique visualmente poluído. Para a organização, “o ideal é tentar liberar as bancadas ao máximo, pendurando alguns suportes e projetando armários pensando na frequência de uso dos utensílios”, contam.

Projeto 2: Walkiria D’Puig Arquitetura, de Tapera – RS

Atual, prática e charmosa eram as demandas das donas desta cozinha, uma mulher de 34 anos e outra de 43. Walkiria D’Puig, arquiteta responsável pelo projeto, atendeu ao pedido das moradoras apostando em cores neutras e escuras e otimizando a disposição do espaço.

De portas abertas

“Como elas adoram receber amigos e cozinhar, criamos cenários por meio da iluminação. Para o dia a dia, há um tipo mais potente e para receber os convidados pode-se trabalhar com uma luminosidade indireta, embutida nos móveis” explica a arquiteta.

Destaques

Apesar da predominância de tons e elementos sóbrios, alguns detalhes sutis fazem a diferença na estética deste espaço. A escolha do revestimento com um ar retrô e a cor quente da mesa quebram a constância e são um atrativo na composição da decoração.

Solucionando

Neste projeto, apesar de não haver integração de ambientes, a utilização de nichos e armários escuros também foi certeira. Para que não prejudicasse a amplitude do cômodo, Walkiria apostou em marcenaria na cor chumbo apenas na parte inferior. “Nos armários de cima foram utilizadas portas de vidro pintado, tirando o peso da madeira e trazendo leveza”, esclarece.

Consultoria: Michelle Gelesko e Alessandra Brandini Gomes, do Studio m+a Arquitetura e Design, Guarulhos – SP;  Walkiria D’Puig, do Walkiria D’Puig Arquitetura, de Tapera – RS

LEIA TAMBÉM