7 alimentos livres de glúten para consumir sem medo

A farinha de trigo pode ser substituída por outros alimentos sem glúten, capazes de conferir sabor às preparações sem deixar de enriquecer a saúde

FOTO: Shutterstock

Quando a pessoa é diagnosticada com a intolerância ao glúten, é comum que muitas dúvidas surjam na sua mente, ainda mais relacionadas à alimentação. O que muitos não sabem é que a farinha de trigo pode ser substituída por outros alimentos semelhantes, capazes de conferir sabor às preparações sem deixar de enriquecer a saúde. Então, aprenda como trocar os ingredientes fontes de glúten por opções que não prejudiquem o bem-estar.

 

farinha-milho-livre-gluten-colher-madeira-prato-branco

FOTO: Shutterstock

 

1. Farinha de milho: como o próprio nome remete, ela é feita a partir do milho. Apesar de ser considerada muito grossa para o preparo de bolos, é bastante indicada para fazer panquecas e pão de milho.

2. Fécula de batata: ela é obtida pela secagem e consequente moagem da batata, sendo que sua coloração branca é proveniente do amido encontrado no alimento. Ela pode ser utilizada na confecção de bolos, biscoitos e pães, além de ser recomendada para engrossar cremes e molhos.

3. Polvilho: encontrado nas versões doce e azedo, ele é proveniente da mandioca e, de acordo com o seu grau de acidez, será definido o seu tipo. É ingrediente de cuscuz nordestino, pão de queijo, tapioca e tantas outras delícias. Ou seja, deve ser presença garantida no cardápio de quem precisa eliminar a farinha de trigo.

 

colher-madeira-farinha-tapioca

FOTO: Shutterstock

 

4. Tapioca: conhecida como um alimento tipicamente brasileiro, a farinha (ou goma de tapioca) é produzida a partir da mandioca. Ela pode ser servida com recheios doces ou salgados e é indicada para o café da manhã ou lanche da tarde. Por ser rica em carboidratos, também pode substituir pães e torradas, por exemplo. Prepará-la é muito prático: a goma de tapioca pode ser encontrada já hidratada no mercado e basta polvilhá-la sobre frigideira antiaderente e esquentar até a goma formar um tipo de panqueca. Depois, recheie com o que quiser! A vantagem é que não precisa de leite nem manteiga. Outra forma de utilizá-la é incluindo-a em cuscuz, bolos e pudins.

5. Araruta: sendo obtida através de uma planta, sua fécula é parecida com a de mandioca – talvez por esse motivo sua produção industrial tenha diminuído bastante. Uma grande vantagem desse produto é que ele rende quantidades significativas: 1 colher (chá) de araruta equivale a 1 colher (sopa) de farinha de trigo.

 

mesa-madeira-farinha-banana-verde

FOTO: Shutterstock

 

6. Fubá: sua matéria-prima é o milho e ele é uma fonte garantida de betacaroteno, uma substância antioxidante. Pode ser usado puro no preparo de bolos ou misturado a outras farinhas, como a de arroz. Além disso, o fubá faz parte de pratos conhecidos como a polenta.

7. Farinha de arroz: como apresenta uma digestão rápida e fácil, é um bom tipo de farinha para a preparação de alimentos para pessoas que possuem desconfortos gástricos com alguns tipos de alimentos. “Porém, ela esfarela fácil e absorve umidade; portanto, se fizer um bolo ou pão, por exemplo, o ideal seria misturar com a fécula de batata ou mandioca, um tipo de farinha mais densa, que dará consistência à preparação”, ensina a nutricionista Giovana Morbi.

 

Consultoria Giovana Morbi, nutricionista

 

LEIA TAMBÉM: