5 dicas de museus para uma viagem intelectual

Gosta de museu ou nunca pensou em visitar um? Eles podem ser uma boa forma de aproveitar ainda mais uma viagem.

Fotografia do interior de um museu do Vaticano.
Visitar um museu pode ser uma boa forma de entrar em contato com a história e a cultura local e mundial. Foto: Wikimedia Commons

Em uma viagem, são muitas as possibilidades de coisas a se fazer e locais a visitar. No desejo de conhecer novas culturas e modos de vida, frequentemente exploramos a gastronomia, a vida noturna e algumas paisagens naturais de uma nova cidade ou país. Uma boa opção para quem também quer mergulhar na história local (e mundial) é visitar um museu. Listamos 5 dicas de destinos que, por si só, já são deslumbrantes, mas que ficam melhor ainda com uma passadinha por um de seus museus. Confira!

Museu do Louvre – Paris, França | Visitantes (anual) – 9,334,435

O museu mais famoso do mundo é lar de obras-primas de diversos mestres, basta lembrar da Monalisa de Leonardo da Vinci. Além disso, conta também com enormes coleções de artefatos do Egito antigo, da civilização greco-romana, artes decorativas e aplicadas, e numerosas obras-primas dos grandes artistas da Europa como Ticiano, Rembrandt, Michelangelo, Goya e Rubens, numa das maiores mostras do mundo da arte e cultura humanas. Ele se Localiza no centro de Paris, entre o rio Sena e a Rue de Rival dos Champs-Élysées.

Foto da fachada do museu do Louvre.

O Louvre é o museu mais famoso do mundo, pois abriga obras como a Monalisa e a Vênus de Milo. Foto: Pixabay/139904

 

British Museum – Londres,  Inglaterra | Visitantes (anual) – 6,701,036

Museu Britânico  localiza-se em Londres e foi fundado em 7 de junho de 1753. A sua coleção permanente inclui peças como a Pedra de Roseta e os frisos do Partenon de Atenas, conhecidos como a coleção de mármores de Elgin.

Foto da fachada do British Museum.

O British Museum está entre os museus mais visitados anualmente no mundo. Foto: Wikimedia Commons

Metropolitan Museum of Art – Nova Iorque, EUA | Visitantes (anual) – 6,226,727

Um dos museus mais importantes do mundo, o Metropolitan Museum (também conhecido como Met) recebe anualmente mais de seis milhões de visitantes e está entre os pontos turísticos mais famosos de Nova York. Sua coleção, que é composta por mais de 2 milhões de peças, conta com obras de artistas como Claude Monet e Vincent van Gogh, sendo assim uma visita imperdível para os amantes da arte.

fachada do Metropolitan Museum of Art.

O acervo do museu compreende obras produzidas entre os séculos XII e XX. Foto: Pixabay/anielbaez0

 National Gallery – Londres,  Inglaterra | Visitantes (anual) – 6,031,574

Galeria Nacional“, em inglês, é um museu de arte em Trafalgar Square, em Westminster, no centro de Londres, Reino Unido. Fundada em 1824, abriga uma coleção de mais de 2.300 pinturas que datam de meados do século XIII a 1900. A Galeria é uma instituição de caridade isenta e um organismo público do Departamento de Cultura, Mídia e Esportes. Sua coleção pertence ao público do Reino Unido e a entrada para a coleção principal é gratuita. Ela está entre os museus de arte mais visitados no mundo, depois do Musée du Louvre, o Museu Britânico e do Museu Metropolitano de Arte.

Foto da fachada do National Gallery

O museu foi construído em 1824 e sua entrada é gratuita. Foto: Wikimedia Commons

Museus Vaticanos – Vaticano (Roma), Vaticano | Visitantes (anual) – 5,978,804

Os Museus Vaticanos (Musei Vaticani) constituem um conglomerado de renomadas instituições culturais da Santa Sé, que abrigam extensas e valiosas coleções de arte e antiguidades colecionadas ao longo dos séculos pelos diversos pontífices romanos. Além destas instituições relativamente independentes entre si, das quais algumas possuem também subsecções mais ou menos autônomas, os Museus Vaticanos supervisionam uma série de outros espaços dentro dos palácios da cidade do Vaticano, como galerias e capelas, que por si mesmos guardam alto interesse arquitetônico, histórico e artístico.

Fachada de um dos museus do Vaticano.

Os museus do Vaticano são famosos por abrigar acervo de peças do mundo todo, herança da hegemonia católica na Europa. Foto: Wikimedia Commons

LEIA TAMBÉM