Escolha a cor ideal para a parede do seu cômodo

Escolha a cor ideal para a parede do seu cômodo
Avaliação 4 - Votos 6

Mudar a cor de uma parede pode transformar um cômodo. Apesar de ser um processo muito simples, uma tinta diferente pode deixar sua casa com um visual mais moderno e aconchegante. Se você está em dúvida de qual cor escolher para transformar sua casa, siga as dicas do arquiteto e urbanista Márcio Barth e da arquiteta Lígia Franco:

parede rosa

Thinkstock/Getty Images

Primeiros passos: antes de começar a pintura

O arquiteto aconselha que antes de qualquer mudança, é necessário aprender um pouco sobre cores, porque cada uma tem uma frequência diferente. Isto é, sejam as cores quentes ou frias, elas propiciam estímulos divergentes. “As cores quentes tendem a nos deixar alegres, passam energia, força, enquanto as cores frias acalmam e relaxam. Por exemplo, se pensarmos num quarto, onde a finalidade é dormir, relaxar e recuperar as energias gastas ao longo do dia, o mais interessante seria utilizar cores de frequência mais alta, como azul, verde e violeta em tonalidades suaves ou cores neutras, como cinzas e marrons, pois buscamos um estímulo que relaxe nosso corpo e alma”, explica Márcio.

Se você busca inovar nas cores das paredes da sala de estar ou cozinha, as cores de frequência mais baixas, como vermelho, laranja ou amarelo, transmitem outras sensações. “As cores quentes transmitem energia, criatividade, socialização, apetite, sendo indicadas assim para potencializar a proposta do ambiente. Os móveis, de forma geral, devem combinar com a escolha das cores, dentro também do mesmo princípio”, completa.

Lígia aconselha mesclar paredes neutras com móveis coloridos ou paredes coloridas com tons neutros para não “cansar” a vista. “É importante equilibrar a quantidade de cores para não sobrecarregar o olhar”, explica.

Escolhendo a combinação de cores

Para escolher a cor ideal, é necessário avaliar como será o cômodo em que será feita a mudança. “Em áreas que serão utilizadas para refeição, como cozinhas e salas de jantar, cores em tons avermelhados, alaranjados e amarelos abrem o apetite. Porém, por se tratar de um imóvel residencial, pintar todas as paredes da cozinha de vermelho fica muito forte. Nesse caso, o morador pode optar por manter as demais paredes no branco mesmo.

Para quartos, se uma parede for pintada em tom mais escuro, como o marrom, para quebrar a seriedade, também é bom utilizar tons neutros, como o areia ou cru”, aconselha a arquiteta.

parede verde

Thinkstock/Getty Images

Segundo Márcio, as cores mais escuras podem criar a sensação de diminuição do ambiente, enquanto as mais claras causam a ilusão de amplitude. “Contudo, pode-se pintar uma parede ou teto com cores mais escuras ou cores mais energéticas. O importante é manter um equilíbrio e não pecar pelo excesso de paredes brancas, que criam ótimos contrapontos com paredes escuras”, ensina.

Como selecionar a parede ideal

Ligia aconselha pensar bem antes de escolher qual parede ganhará a tonalidade diferente: “A parede que receberá a cor de destaque deve ser preferencialmente a parede mais importante, não necessariamente a maior. Em quartos, usualmente mantemos a parede colorida atrás do olhar do morador, na cabeceira da cama. E em sanitários e lavabos, a parede com destaque pode ser a que fica atrás da pia/ lavatório. O mesmo vale para a cozinha”.

Móveis vintage X paredes coloridas

Se você tem móveis no estilo vintage ou retrô, deve tomar alguns cuidados para não deixar o ambiente sobrecarregado. “De preferência, não use a mesma cor das paredes com a cor dos móveis, como por exemplo, cadeira vermelha e parede vermelha. O resultado não será muito agradável”, diz o especialista. Ligia dá uma dica essencial para quem não sabe como combinar as cores dos móveis com as paredes: “Se você possui móveis coloridos, como cadeiras e mesas de centro, procure ter os maiores móveis em tons neutros, como o sofá e o tapete”.

Tendência de cores

A escolha de cores sempre dependerá do gosto pessoal. No entanto, alguns tons ganham destaque em determinados períodos, seja por conta da estação do ano ou pelas novidades do “universo” da decoração. “No inverno, está em alta o uso do marrom, inclusive com textura de veludo, os azuis turquesas, tons de lilases e rosas queimados”, aponta Ligia.

parede preta e branca

Thinkstock/Getty Images

O arquiteto afirma que para os jovens, o ideal é buscar cores mais alegres, pois condizem com a energia da fase desse público. Para uma fase mais madura, a dica é apostar nos tons médios de cinza, marrom, preto e branco, que proporcionam um ar sereno.

Consultoria Márcio Barth – Arquiteto e Urbanista. Diretor executivo da Base2 Arquitetura – www.base2arquitetura.com Lígia Franco – arquiteta da Doutor Resolve – Reparos e Reformas

LEIA TAMBÉM

 

Mais lidas