“Tem muita coisa para acontecer na história de Alice”, diz Sophie Charlotte sobre personagem em Babilônia

Avalie

A vida da personagem de Sophie Charlotte na novela Babilônia não promete ser fácil. Atualmente engatando um romance com o mau-caráter e cafetão Murilo (Bruno Gagliasso), Alice já ficou grávida de um desconhecido em Dubai, perdeu o bebê, viu o pai morrer e discutiu seriamente com a mãe Inês (Adriana Esteves).

E as coisas não devem melhorar. Nos próximos capítulos, Alice deve se desentender novamente com Inês e aceitará a proposta de Murilo para ser uma prostituta de luxo!

Foto: André Muzell/Colaborador

Foto: André Muzell/Colaborador

Nascida na Alemanha, a taurina Sophie Charlotte veio para o Brasil aos sete anos idade. Alice foi para Dubai quando adolescente e voltou ao Brasil quando adulta.

Para a atriz as diferenças entre ela e a personagem começam aí. “Ela é um peixe fora d’água em Dubai, porque os pais são brasileiros. Isso vai ser crucial para ela querer voltar ao Brasil. Ela idealiza essa liberdade carioca. Eu vinha sempre para o Brasil, passava férias. Meu pai é brasileiro e minha mãe alemã. O caso da ‘Alice’, foi o caminho oposto ao meu. Ela saiu do país dela e se tornou uma estrangeira em outro país. E eu estava vindo para o Brasil, onde não sou estrangeira.”

Leia mais:

+ Os atores mais gatos de Babilônia: os homens que estão deixando todo mundo babando!

+ Prefere a novela turca? Então venha conhecer melhor um dos protagonistas que vai fica na sua cabeça por 1001 noites!

+ Também tem latino-americano! Daniel Arenas é o gato de “Coração Indomável”, do SBT 

A Guia Astral conversou com Sophie Charlotte, que contou sobre a construção da personagem de Babilônia, impressões sobre Dubai e como mantém seu visual:

Guia Astral: Como está sendo esse trabalho novo?
Sophie Charlotte: “Está incrível. Estou superfeliz, é uma grande oportunidade contracenar com a Adriana Esteves. Eu vou repetir isso até o final da novela, porque é uma honra. O Bruno Gagliasso também tem sido um grande parceiro de cena. É uma grande honra, é um personagem bem complexo, que vai ter muitas reviravoltas. Acho que é um personagem de jornadas, que começa e se transforma muito, tem muita coisa pra acontecer na história dela.”

Qual foi sua primeira impressão quando leu sobre a personagem?
“Nossa, falei ‘Vou ter que estudar muito.’. É uma personagem muito complexa e também uma grande oportunidade. Eu sempre busco mais desafios e desafios maiores. Então, me desafiar a ler esse texto com mais profundidade, com mais sutileza, outras nuances, porque esse é um texto incrível, que tem o que ser estudado.”

Como foi gravar em Dubai?
“Foi o máximo. Passei cinco dias lá, foi o lugar mais distante que eu já conheci. São 15 horas de voo. Realmente, a cultura é superdiferente, a arquitetura é incrível, absolutamente estonteante, parece que você está num filme.”

Foto: Estevam Avellar/Rede Globo

Foto: Estevam Avellar/Rede Globo

Você ficou impressionada com as mulheres de lá?
“Logo no segundo dia eu parei no Museu da Mulher. E você vê uma biblioteca cheia de autoras árabes e, enfim, é muito difícil a gente julgar daqui uma outra cultura. Que eu posso falar com mais propriedade é a visão da ‘Alice’, como ela se enxerga nesse mundo. Ela é um peixe fora d’água naquele universo de Dubai, porque os pais são brasileiros e ela está naquele universo sem saber. Isso vai ser crucial para ela querer voltar ao Brasil, ela idealiza essa liberdade carioca.”

Você também veio criança ao Brasil. Você chega a se colocar no lugar da sua personagem?
“Eu vinha sempre para o Brasil, passava férias. Meu pai é brasileiro e minha mãe alemã, mas a gente vinha muito pra cá. No caso da ‘Alice’, foi o caminho oposto ao meu. Ela saiu do país dela e se tornou uma estrangeira em outro país. E eu estava vindo para o Brasil, onde não sou estrangeira. Ela idealizou aquele lugar (Dubai). Talvez eu também idealize algumas coisas da Alemanha.”

O que mais te chamou atenção em Dubai?
“Era difícil parar o olhar, eu ficava olhando em 360, tentando absorver o máximo, é muito cultura, muita coisa acontecendo. E, ao mesmo tempo, é uma cidade muito nova. Eu fiz um passeio no deserto, com areia absurdamente fina, foi o máximo.”

Você foi atrás de mulheres reais, que foram enganadas e tiveram que se prostituir?
“Não, não fui. Eu me preparei, me despreparando disso. Ela não começa a história assim. O que acontece na trama é bem específico. Na verdade, quando você pega um personagem, como o de ‘Serra Pelada’ (filme), você vai atrás mais de mais informações. Mas a ‘Alice’, era mais interessante entender da onde ela vinha e sobre as relações familiares que ela construiu ou não construiu.”

Como está sendo a troca com o Bruno Gagliasso?
“Ele é um grande ator, estou muito feliz de estar contracenando com ele. Ele veio de um grande sucesso, que é ‘Dupla Identidade’ e já emendou na novela com uma disposição ímpar, de contracenar e construir essa relação do ‘Murilo’ com a ‘Alice’ da melhor maneira possível. Estou cercada de profissionais que eu confio e admiro, essa faz toda a diferença.”

Como foi composto o visual da ‘Alice’?

Foto: Estevam Avellar/Rede Globo

Foto: Estevam Avellar/Rede Globo

“Eu estava com o cabelo curto, mas estava deixando crescer desde o fim do ‘Rebu’, pois sabia que iria fazer a novela, mas não sabia como seria o visual. E aí, a gente conseguiu ir clareando aos poucos. Foi feito no meu pai (que é cabeleireiro).”

Como você cuida do corpo?
“Eu tenho uma personal, Fernanda Mello, que é a minha amiga. Faço um treino funcional, umas duas, três vezes por semana. Minha alimentação é o mais equilibrada possível. Eu já gosto de comer bem, então não é uma coisa que eu tento lutar contra. Eu só diminuo algumas quando sinto que precisa dar uma segurada. Sempre de uma maneira espontânea.”

Entrevista: Daniela Andrioli/Colaboradora

Mais lidas