Reynaldo Gianecchini fala sobre volta à tevê em Guerra dos Sexos

Avalie

Todos estavam torcendo pela a volta de Reynaldo Gianecchini à tevê. Depois de uma pequena participação na novela “Cheias de Charme”, Giane se prepara para voltar de vez às novelas interpretando Nando, na nova versão da novela “Guerra dos Sexos”, que estreia dia 01 de outubro, na Rede Globo.

Conversamos com o galã durante a coletiva de lançamento da novela. Sempre muito simpático, Giane respondeu várias perguntas e falou sobre tudo: a volta ao trabalho, as mudanças que ocorreram em sua forma de encarar a vida, o novo visual com os cabelos encaracolados e muito mais!

Confira esse papo gostoso e cheio de histórias com Reynaldo Gianecchini!

reynaldo-gianecchini

Foto: Francisco Cepeda/ AgNews

Guia Astral: Como está sendo voltar para as novelas?

Gianecchini: “Durante o meu tratamento, só pensava onde eu iria arranjar energia para esse personagem, porque é ação o tempo inteiro. Mas é uma delícia! Foi muito bom constatar que estou podendo entrar nessa brincadeira com tudo. Estou felicíssimo. A palavra é diversão. A gente vem se divertindo horrores com esse elenco, com o Jorginho (Jorge Fernando, diretor), em todas as situações.”

 

Guia Astral: E como está sua energia?

Giane: “Ótima, estou a mil por hora.”

 

Guia Astral: E deu tempo de ver alguma coisa da primeira versão de “Guerra dos Sexos”?

Giane: “Assisti à novela inteira quando tinha 11 anos. Lembro de muita coisa. Mas, agora, não quis rever, porque o que estamos fazendo não é exatamente um remake. É uma outra coisa, diferente, os anos mudaram. O meu personagem quem fez foi o Mário Gomes e fez muito bem. Me lembro que eu era adolescente e ele era uma cara muito maneiro pra mim. Mas não é o caso de eu tentar copiá-lo. É a nossa leitura sobre os personagens agora. Então eu não revi nada.”

 

Guia Astral: Naquela época, a disputa entre homens e mulheres era muito acirrada. Você acha que isso ainda existe hoje?

Giane: “Acho que o Silvo (de Abreu, autor) manteve essa disputa, porque a graça da novela é exacerbar como homens e mulheres são tão diferentes e estão sempre tentando entender um ao outro. A novela é uma grande brincadeira sobre isso. Acho tudo muito pertinente ainda. Homens e mulheres continuam tentando se entender.”

 

Guia Astral: Novamente uma parceria com a Mariana Ximenes. Como é isso?

Giane: “Uma delícia. A Mari é superparceira, parceira da vida e de trabalho. Se tornou uma grande amiga. A gente é muito parecido, muito disciplinado. Estudamos juntos, às vezes, e é muito gostoso ter uma parceira aqui. Na verdade, essa novela é uma retomada de várias parcerias. Com o Tony Ramos é a quinta novela juntos. É maravilhoso! Já não tenho mais palavras para falar dele. A Glória Pires é nossa segunda novela. A Irene Ravache também é a segunda. Na verdade são vários reencontros. A dona Fernanda (Montenegro) vai fazer uma participação também. O engraçado é que ela não está todo dia, mas é como se ela estivesse. Não dá para pensar ‘Guerra dos Sexos’ sem ela.”

Guia Astral: Esse cabelo enrolado caiu bem para o personagem?

Giane: “Perfeito. Na verdade parece que eu fiz de propósito. E não foi. Eu estou adorando. Quando comecei a gravar, falei para o Jorginho que ele adoraria esse cabelo. Quando apareci no set, ele pirou. Disse que era exatamente esse o cabelo do Nando.”

 

Guia Astral: Fazendo um balanço da sua vida profissional e pessoal, como está tudo nesse momento?

Giane: “Está tudo delicioso! Tudo sendo vivido com muito prazer no dia a dia, dando importância ao que realmente importa e às relações: de trabalho, com os amigos, com a família. Ficou tudo muito mais gostoso, mais forte, mais intenso.”

 

Guia Astral: Você sente que está bem diferente?

Giane: “Bem diferente! Principalmente tirando todos os pesos que a gente costuma colocar nos ombros, e vivendo o dia a dia com toda beleza que ele oferece pra gente. É esse meu pensamento quando acordo todo dia.”

 

Guia Astral: E você está conseguindo viver mais leve?

Giane: “Estou. Mas é um exercício diário. Não é que eu fiquei zen, perfeito. É um exercício, porque a gente continua tendo todas as nossas limitações, irritações, dificuldades do dia a dia. Mas o exercício é deixar sair todo esse peso, e colocar uma leveza, além de também aprender com cada obstáculo que vem tentar frustrar aquilo que a gente pensou.”

 

Guia Astral: De onde vem tanta fé?

Giane: “Eu acho que de uma força maior, que é essa força do universo. Chamem do que for, de Deus… Com certeza há uma ligação com essa força maior.”

 

Guia Astral: E você não tem uma religião definida?

Giane: “É difícil falar de religião. Fui criado no catolicismo, mas eu conheço várias religiões, gosto de várias coisas. Acho que têm vários dogmas e religiões que acabam te afastando. Então, prefiro não falar de religião, prefiro falar de amor, dessa força perfeita do universo, conexão que é feita através do amor. Minha religião é o amor.”

 

Guia Astral: Como você está se preparando para enfrentar essa rotina de muita aventura do seu personagem?

Giane: “Não tem nenhum preparo específico. Fisicamente, voltei a praticar todas as minhas atividades, mas como quebrei o braço, então faz um mês que não posso malhar. Agora que estou retomando.”

 

Guia Astral: Como quebrou o braço?

Giane: “Quebrei o dedo, na verdade. Caí por causa de um sapato novo.”

 

Guia Astral: Qual seu prato predileto?

Giane: “Arroz e feijão. Sempre é o que me dá saudade quando saio do Brasil. É o mais simples e mais inesquecível.”

 

Guia Astral: A Drica Moraes passou pelo mesmo problema que você. Você conversou com ela a respeito?

Giane: “A gente conversa muito sobre tudo. A gente não tem muito tempo e também não ficamos falando muito de doença. A gente fala de coisas boas. Sobre o que trouxe de bom pra gente. Hoje eu estava mesmo comentando como é importante esse novo olhar que a gente tem pela vida, que sorte a gente ter esse novo olhar. E como as coisas ficam mais fáceis de entender.”

 

Guia Astral: Você teve algum momento de revolta?

Giane: “Nunca tive.”

 

Guia Astral: E aquele questionamento: por que aconteceu comigo?

Giane: “Nunca tive também. Acho que a vida é o que é. A gente faz planos e, às vezes, somos frustrados. Mas tem coisas que, como não tem o que fazer porque a vida que te ofereceu aquilo, não cabe questionar. Cabe a você encarar a realidade e fazer daquilo um entendimento, tirar alguma coisa boa. Com certeza tudo tem algo boa, não tenho dúvidas disso. Então, tudo pra mim foi muito natural.”

 

Guia Astral: E o projeto do seu livro?

Giane: “Está a mil por hora. Até o final do ano deve ser lançado. Ele fala não só sobre a doença. É a história da minha vida. Vai falar todas as viradas da minha vida, que fez o cara que saiu de Birigui estar aqui hoje, o que aconteceu para eu estar aqui hoje. Todas as viradas e essa parte da doença.”

 

Guia Astral: Qual o nome?

Giane: “Acho que cai ser muito simples, o meu nome mesmo. Mas a gente não bateu o martelo não.”

 

Guia Astral: E como foi essa ideia?

Giane: “Eu fui procurado por várias editoras e nunca pensei em fazer um livro. Essa ideia me parecia muito maluca. Não tinha a menor vontade. Mas aí, várias pessoas falavam que minha história poderia inspirar e ajudar um monte de gente, e eu comecei a ficar atento. Quando o Guilherme Fiúza me procurou, ele veio com uma proposta muito bacana, que não é um livro de auto-ajuda exatamente, mas ele quis contar uma história em que eu sou o personagem. Ele já fez o ‘Meu Nome Não é Johnny’, um livro é maravilhoso Acho uma delícia a maneira como ele contou a vida daquele cara, de uma forma tão divertida e tão bacana, e achei que podia ser legal comigo também. Fiquei curioso para ver como ele contaria a minha história. Por isso aceitei.”

 

Guia Astral: E o projeto da sua ONG?

Giane: “Estou em pleno desenvolvimento disso. Fazer uma instituição, uma ONG, é uma coisa que exige bastante cuidado e trabalho. Estou pesquisando tudo e quero fazer a coisa mais linda. É um projeto antigo e acho que agora estou conseguindo ver meios para realizá-lo.”

 

Guia Astral: Sua mãe vai ficar a frente?

Giane: “Vai. A ideia é essa.”

 

Guia Astral: Será na sua cidade?

Giane: “Vai ser na minha cidade e toda região. Quero atender muito o pessoal do interior, que eu acho que é uma turma carente de informação e, às vezes, até de cuidado. “

 

Guia Astral: E como vai ser?

Giane: “Terá um pouco de tudo. Eu quero muito ajudar crianças, adolescentes, pessoas necessitadas. Então vai ter um pouquinho de tudo. Essa é a ideia.”

 

Guia Astral: Está namorando?

Giane: “Sem perguntinhas pessoais. Eu posso falar tranquilamente que não, mas eu não tenho a menor vontade de falar da minha vida pessoal.”

 

 

Entrevista: Beatriz Albuquerque

Texto: Soraia Alves

 

Mais lidas