Reynaldo Gianecchini fala sobre os cabelos crespos

Avalie

Além da beleza indiscutível e do porte físico, os cabelos de Reynaldo Gianecchini também ajudaram a fazer dele um dos galãs mais desejados da televisão. No entanto, depois de sofrer a queda dos fios por causa de seu tratamento contra o câncer, o bonitão está com um visual bem diferente.

“Parece que veio na hora certa pro personagem”, disse o ator em entrevista para LUNNA. Gianecchini se prepara para gravar o remake de Guerra dos Sexos. Ele será Nando, motorista de uma família rica que se apaixonará por Juliana, personagem de Mariana Ximenes. Confira o bate-papo:

Reynaldo Gianecchini exibe cabelos crespos na TV

Fotos: Francisco Cepeda / AgNews

Você mudou o visual e está com os cabelos mais cacheados. Está gostando?

Estou super curtindo! Parece que veio na hora certa pro personagem. Encaixou super bem! Quando cheguei lá, o Jorginho adorou, pirou. É a cara do meu personagem. Ele é muito casual, desleixado. Ele é bonito, mas sem ficar perdendo tempo se cuidando. Esse cabelo dá um ar meio casual mesmo, de desleixo. Ele é um cara da vila. Eu estou adorando. As pessoas falam: ‘você vai ver agora o que é ter cabelo ruim’… (risos) Estou achando o máximo, sempre achei o maior barato cabelo cacheado, ondulado. Então, estou curtindo!

Mas seus cabelos eram lisos?

Meu cabelo sempre foi liso. Por causa da quimioterapia ele nasceu assim. Acho que ele vai voltar a ser liso em algum momento… Mas não sei o que vou fazer.

O personagem é um aventureiro?

Meu personagem, não é que ele é aventureiro. É porque acontece muita coisa com ele. Ele se mete em milhões de confusões. Ele não é engraçado, mas ele está o tempo todo em situação de comédia. É uma coisa bem Silvio de Abreu, mesmo. É uma delícia. Eu dispensei dublê até onde eu posso. No geral, eu adoro fazer cenas de ação. Eu sempre brinco com os dublês: ‘eu queria mesmo ser dublê, eu não queria ser ator’. Eu adoro cenas de ação, porque é tudo de verdade, você tem que abrir, falar, mexer… Usar a mão. O corpo inteiro já sabe o que fazer.

E o que aconteceu com a sua mão?

Isso aqui foi uma besteira. Na verdade, o sapato estava novo e o chão escorregadio. Eu tropecei e caí… Fui proteger o rosto e deu uma fraturada básica. Mas está quase bom. Estou gravando mesmo assim. Estou escondendo. Meu personagem é chofer, então ele usa luva e dá para esconder.

Essa é a primeira vez que o público está te vendo. Como eles têm te tratado?

Eu tenho recebido tanto carinho. Eu adoro estar com gente. Tenho ouvido muito na rua, das pessoas falarem o quanto torceram por mim, e quanto foi importante o meu otimismo. O maior barato. Sempre gostei de gente, mas estou muito mais aberto para conversar com as pessoas, porque recebi muito carinho. E é tão bonito. É legal. Não me sinto mal de estar num lugar com muita gente, com o assédio. Está gostoso.

Gianecchini se prepara para gravar Guerra dos Sexos com Mariana Ximenes

Foto: TV Globo/Divulgação

Você fará Guerra dos Sexos. Como é o retorno com os amigos da novela?

Está sendo muito maneiro também. A equipe é muito legal. Com pessoas que já trabalhei Mariana Ximenes, Glória Pires, Tony Ramos… É uma turma que são excelentes atores. É muito bom contracenar com um elenco desse peso. E são excelentes colegas. Está uma delícia. Está um clima muito astral. Essa novela é imperdível. Estou muito curioso para ver como meus amigos estão fazendo os personagens. Porque eu assisti essa novela, tinha 11 anos, e agora estou curioso para ver essa nova versão. O texto continua sendo muito bom, muito engraçado. Eu estava pronto. Silvio já tinha me chamado há muito tempo, desde Passione. Mas claro com meu tratamento eu pensei: ‘não sei se vai dar, vai depender do meu tratamento’. Mas eu terminei meu tratamento em janeiro, e desde então, tenho me esforçado para voltar à forma, à vida normal. E acho ótimo: o trabalho é um grande estimulador na verdade. Principalmente esse personagem, porque você precisa estar bem fisicamente, estar a mil por hora. Foi um grande incentivo voltar a fazer exercício, a comer direitinho. Foi na hora certa. Comecei a gravar na hora certa, depois de ter descansado.

O que é mais importante na sua vida hoje?

Viver o dia a dia com tranquilidade, com prazer, sem estresse. Curtir tudo o que estou fazendo. Olhar com um olhar humano sobre as coisas. Olhar o novo, de afeto, de buscar beleza em tudo, buscar diversão. Sem tanto estresse, porque a gente tem mania de fazer as coisas sempre com muito peso nas costas. E eu não. Estou literalmente muito leve. Sem obrigações. Claro que a gente tem muito trabalho para fazer, mas o trabalho tem que ser legal, tem que ser divertido, prazeroso, com boas relações. A Globo foi mega parceira na minha doença. Foi emocionante como eles me abraçaram, me ajudaram. Eu devo muito.

Quem era você antes e quem é você hoje, após o tratamento?

É tão difícil você falar o que efetivamente mudou, mas mudou muito profundamente. Acho que basicamente sou a mesma pessoa, com um novo olhar sobre a vida. Um olhar mais apurado sobre as coisas, mais dedicado.

Seu maior sonho. O que tem vontade de realizar agora?

Tanta coisa, né?! Acho que estou fazendo o livro. O livro não é sobre a minha doença, é sobre as viradas da minha vida. Tudo o que eu fiz até chegar onde eu estou. Não é um livro de auto-ajuda. Ele vai contar as viradas da minha vida.

Mais lidas