Guilhermina Guinle conta como conciliar a maternidade e o trabalho

Avalie
Guilhermina Guinle

Foto: Andre Muzell/Colaborador

A leonina Guilhermina Guinle vive Pia Lovatelli na novela ”Verdades Secretas”. Sua personagem é uma paulistana rica que se casou com ”Alexandre” (Rodrigo Lombardi) e teve dois filhos que enfrentam problemas com drogas. Ao contrário de sua personagem, a atriz vive um momento ótimo com sua pequena Minna, e conta como recuperou o corpaço depois da gestação. Confira na entrevista de Guia Astral com a atriz:

+Grazi Massafera conta como foi ficar nua em Verdades Secretas

+ Reynaldo Gianecchini diz nunca ter sido chamado para fazer o ”book azul”

Você mudou o cabelo e reaparece na TV loira. Gostou do resultado dos fios mais claros e agora com megahair?
“A gente estava nesse dilema. Eu estava morena e queria continuar assim. E a minha referência era a Kate Middleton, morena, chique. Eu queria assim. Mas o Walcyr (Carrasco, autor) falou: ‘Já viu como todas as paulistas chiques vão ficando com uma mecha loira no cabelo?’ E eu achei que ele tinha razão, então fui ficar loira. E estou assim… Mas cabelo de mulher loira tem que cuidar, hidratar, ainda mais cabelo comprido, que dá mais trabalho. E ainda tem megahair. Eu vou quase toda semana ao salão e faço hidratação com a Cíntia. Eu falo que ela é uma bruxinha porque é muita química aqui no cabelo.”

Você emagreceu rápido após a gestação de Minna. Está com que peso agora?
“Eu fui bem devagar, emagrecendo aos poucos. Eu estou com menos peso agora, se comparado antes da gravidez. Agora estou com 56 quilos. Eu não bebo bebida alcoólica, evito até por conta do inchaço. Tenho cuidado com a hidratação e bebo, em média, quatro litros de água por dia. À noite evito ao máximo comer carboidrato e tenho aquela preocupação de comer a cada três horas, como de tudo, só que em pequenas quantidades. Se bate aquela fome, procuro comer um lanche saudável. Evito os pratos, produtos industrializados e esse cuidado tenho também com a minha filha. Quero que ela se alimente de forma saudável. E em termos de exercícios, quando tenho um tempo, faço caminhada e pilates.”

Como tem sido a experiência de trabalhar e deixar a filha Minna em casa? Você a traz para as gravações no Projac?
“Não! Ela está com um ano e meio, já tem a vidinha dela e a agenda completa, faz natação, tem aula de música, de movimento e de arte. Nossa, é tanta aula, tadinha… Mas é bom porque minha filha se distrai. Eu fui muito privilegiada porque as pessoas voltam depois de quatro meses, seis meses, a trabalhar. Eu fiquei um ano e meio com ela, foi uma licença-maternidade deliciosa. Nós ficamos grudadas.”

 

Guilhermina Guinle

Foto: Lucas Anselmi

Você ainda não a colocou na escola?
“Não. Eu acho que é coisa de geração mesmo, sabe… Eu entrei com 4, 5, anos na escola. E hoje eu vejo as crianças entrarem cada vez mais cedo. Acho que tem essa questão de que as mães trabalham tanto, cuidam da casa, filhos, marido, é uma loucura. Mas a Minna começa em agosto na escolinha.”

Você diz que não traz a filhota para as gravações no Projac. Mas fica com o coração apertado por estar distante dela, não?
“Isso vai ser sempre, a mãe já nasce com essa a vontade de estar perto da filha a todo instante. Mas isso de se distanciar um pouco é saudável para nós, para a mulher, para o casal, para o filho. Eu falo: ‘Mamãe vai trabalhar…’ E isso a gente vai falando desde pequenininho para ela ir se acostumando. E ela presta atenção em tudo que se fala, é impressionante.”

Então ela deve já ter uma personalidade forte, certo?
“Ela é muito esperta, mesmo! Presta atenção em tudo, uma coisa além do normal, de falar com ela como se estivesse prestando atenção em tudo. A minha babá, Iraci, que está com a gente há 45 anos, fala isso. A Iraci está comigo desde um mês antes da Minna nascer. Ela já tinha sido a babá de várias pessoas da minha família.”

O seu marido Leonardo Antonelli é advogado e tem um dia a dia bem diferente do seu…
“Ele está chegando em casa agora e eu vim aqui para o Projac (risos). E ele tem que se acostumar que é uma coisa nova na vida dele. Mas ele segura bem a onda, fica feliz, e faz de tudo para chegar em casa mais cedo para curtir a Minna. E no final de semana a gente fica grudado, viajando ou em casa, mas totalmente juntos e os horários são todos para ela. Eu gosto de manter essa coisa de hábitos com os horários porque é importante para a educação da criança. A Minna acorda às 6 horas, almoça às 11:30 horas, dorme às 12 horas e acorda quase às 15 horas. Brinca, faz as coisas dela e vai dormir às 19:30 horas. É bacana criar essa rotina, esse hábito na criança.”

Pelo visto você está realizada com o nascimento de Minna. O que mudou com a maternidade?
“O que muda é o tempo e o que você faz com esse tempo. O meu tempo agora é totalmente dedicado a ela, a minha filha. Muda esse amor que você tem por esse ser, um amor que vai crescendo, que vem vindo, um amor dela também, que vai criando carinhos, laços.”

Entrevista: Márcio Mello/Colaborador

Mais lidas