Grazi conta como foi ficar nua em cena de Verdades Secretas

Avalie
Foto: Lucas Anselmi/Colaborador

Foto: Lucas Anselmi/Colaborador

A canceriana Grazi Massafera tem propriedade para falar que conhece o mundo da moda que representa na novela Verdades Secretas. A paranaense está com 33 anos e foi modelo por muitos anos antes de alcançar a fama com o segundo lugar do Big Brother Brasil 5.

A personagem Larissa trabalha na agência da Fanny (Marieta Severo). Cenas quentes, “book rosa” e um futuro polêmico envolvendo drogas prometem agitar a vida da modelo veterana.

Grazi falou com Guia Astral para explicar como se preparou para o papel e como foi gravar algumas cenas nuas! Confira:

Como procurou compor o universo forte de ‘Larissa’?
“De várias formas. E o que eu mais percebi, isso todas as vezes, é que o vazio acontece com elas depois que vão pra casa. Na hora do trabalho elas se concentram, e tem que pegar o cliente. E o buraco acontece quando elas voltam para casa. Mas nesse processo de composição e de dar vida à ‘Larissa’, eu tive coragem de arriscar. Coloquei-me em situações de riscos controláveis, até porque claro estou com uma equipe que a conheço que é o Maurinho (Mauro Mendonça Filho), onde fiz a minha primeira protagonista, e Walcyr Carrasco que é um sucesso, que só escreve coisas bacanas. Então, é unir isso tudo com a vontade de fazer uma coisa diferente. E o que mais me agrada na ‘Larissa’ é a liberdade e exercitar a coragem. Book Rosa é uma coisa muito escondida, velada, ninguém fala, mas ele existe. Falei com garotas de programa, saber como é a sensação, rotina, voltar pra casa, fiquei surpresa com algumas histórias. A sensação é estranha, fiquei surpresa. Cada uma delas têm a sua própria história.”

Na sua época de Miss, você recebeu algum convite, algo parecido?
“Não! Isso nunca aconteceu comigo. Só uma vez que me falaram assim, isso logo no início: ‘Nossa seus olhos brilham até no escuro.’. Aí eu respondi que minha mãe tinha me falado que quando um olho brilha no escuro é porque é verme (risos). Eu sempre tive esse lado bem humorado e sempre dei um limite. Mas nunca passei por situação constrangedora. Sempre fui muito respeitada, desde a época de miss até agora. Isso é bacana.”

Como foi mergulhar no mundo das drogas, universo até então desconhecido por você?
“Eu não levei um susto quando eu soube que a ‘Larissa’ teria esse traço. Mas ainda vou entrar nesse mundo. Não gravei nenhuma cena nesse tom, e quando tiver, terei mais coisas pra falar.”

Foto: Lucas Anselmi/Colaborador

Foto: Lucas Anselmi/Colaborador

E a cena de nudez, como foi?
“É bem diferente do que eu imaginava. É tudo bem ensaiado, muito técnico, tudo muito fake, mas, ao mesmo tempo, é bonito. Eu achei que ficaria mais constrangida, mas não. Ali tem um profissionalismo tão grande de quem está fazendo, que não é tão constrangedor como eu imaginava. Trata-se de uma cena rotineira, tranquila. Mas não vou negar que eu fico um pouco nervosa.”

Falando nisso, você costuma assistir as suas cenas na TV? É crítica em relação ao seu desempenho no ar?
“Eu vejo as minhas cenas e sempre acho ruins. Sou crítica quando vejo as minhas cenas. E quando as pessoas me criticam, eu acho que não criticam tanto assim, porque eu sou bem crítica comigo, até mais que os próprios críticos (risos). Eu acho natural que isso aconteça. Quando leio, a primeira impressão é: ‘Nossa!’ Mas depois entendo, passo a digerir melhor a nota, até porque a pessoa precisa dar a nota. Separar o que pode servir para eu melhorar.”

Hoje você lida melhor com as críticas no geral?
“Vou ficando mais madura e isso acontece, e é algo que não vai mudar. E se estão falando é porque querem falar.”
Você sempre foi vista na TV interpretando mulheres doces, boazinhas. Agora traz à tona, através de ‘Larissa’, temas como nudez, droga, prostituição. Está preparada para viver isso tudo na TV?
“Sim! Sinto-me mais madura, faço análise, algo que me ajuda muito; e hoje eu não misturo mais nada. Vivo um momento interessante em todos os sentidos e a palavra desse personagem é coragem e vai. Tudo é um buraco para quem se droga, para quem se prostitui, e todos nós temos os nossos buracos. E a novela trata isso, de como você lida com ele no dia a dia, onde você enfia isso, como você maquia isso e todos os personagens vão por esse caminho.”

Foto: Lucas Anselmi/Colaborador

Foto: Lucas Anselmi/Colaborador

Como mãe, você já pensa em conversar essa realidade, como as drogas, com a sua filha Sofia?
“Eu já penso em falar com ela, mas até lá a gente vai se preparando. Em algum momento algo do meu coração vai vir e eu vou dizer para a Sofia, não sei como será, mas vai ser num momento certo.”

Você aparenta estar mais magra, não?
“É que eu parei de malhar e se isso acontece, eu emagreço, perco massa muscular. Eu vivo tentando ganhar peso, quero inchar a perna, mas aí para de malhar e perco tudo. Mas com a novela agora não dá tempo de me exercitar.”

Além dos exercícios, você segue alguns cuidados com a alimentação?
“Eu gosto de tomar suco verde. Além disso, adoro sol, adoro fazer passeio ao ar livre com minha filha, gosto de ficar em casa, de sair com os amigos.”

Grazi, será que alguém vai ficar com ciúmes das suas cenas na novela?
“Tomara que sim (risos)! Mas estou solteira. Vamos ver…”

A novela aborda o mundo fashion da moda. Como você lida com isso? É muito consumista?
“Que nada. Adoro ir aos brechós, garimpar peças em lojas de departamentos. Quando minha mãe vem ao Rio, a gente sai e garimpa tudo. Eu não sou de comprar muito coisas caras e uso até peças emprestadas. Mas quando quero comprar algo, vou lá e compro.”

Foto: Lucas Anselmi/Colaborador

Foto: Lucas Anselmi/Colaborador

Foi difícil abrir mão da vaidade para viver ‘Larissa’?
“Nada! Está sendo uma parte libertadora. Na hora de gravar, acho que não é gravando e sim coragem! Não é fácil e aqui vivo vários assuntos difíceis pra mim e para a sociedade, temas que nós temos contato no cotidiano. Acho que beleza é só um detalhe perto de todo esse contexto.”

Você é fã de decotão?
“Eu nunca fui. Eu sempre usei, não é um momento específico. Acho que as pessoas gostam de criar notícia. Não é uma notícia nova. Eu acho assim: se você tá fechada, põe um decote. Eu gosto de coisa curta e de decote, mas eu não uso junto.”

Você acha que pode ser um divisor de águas? Porque você sempre fez as mocinhas.
“Eu não sei, porque aí a gente cria grandes expectativas. Expectativas cada um tem a sua então é difícil. Mas eu quero tentar. Eu quero, não, é um personagem totalmente diferente. Todo mundo pergunta ‘O que o personagem tem a ver com você?’, e esse não tem quase nada. Eu sou do dia, ela é noturna. Eu gosto de sol, ela não. Tem a questão dos buracos, que cada um tem o seu. Acho que todo mundo aqui sabe o que é isso. E eu acho que a ‘Larissa’, a maneira como ela encara isso é indo se anestesiar. Essa questão de drogas, essa questão social tá mais perto do que a gente imagina.”

Entrevista: Hérica Rodrigues e Márcio Mello/Colaborador

Mais lidas