Entrevista: Claudia Leitte fala sobre a carreira e o Carnaval

Avalie

Nascida de uma família humilde do Rio de Janeiro, Claudia Cristina Leite Inácio se mudou para Salvador com poucos dias de vida. E foi lá que a quase baiana se apaixonou pelo axé e dispensou o nome cumprido para dar vida à Claudia Leitte, a queridinha do Carnaval! Em entrevista, Claudinha falou sobre carreira, vida pessoal e muito mais. Confira!

Claudia Leitte abre o jogo e conta tudo!

Foto: Francisco Cepeda / AgNews

Claudia, este ano você ainda lança DVD, né? Dá pra adiantar algo?
Ainda não posso falar, porque está tudo muito voltado ainda pro carnaval, todos os esforços estão nisso. Mas é certo que quero uns quatro ou cinco convidados cantando comigo. Vai ser um show pra contar minha história, falar de mim através de cada música. O último foi o Nega Loura, que era algo mais intimista, foi no teatro Castro Alves, então tinha que ser assim. Foi um DVD que não era tão um projeto de carreira, gravei pra minha satisfação. E é muito diferente do que eu vou fazer para o novo DVD, que gravo em agosto. Eu já tinha gravado em Salvador, no Rio e queria uma capital que fosse importante pro Nordeste, como é Salvador. E por isso escolhi Recife, que é uma metrópole. Eu fiz um dos meus primeiros shows em Pernambuco e logo no começo da carreira, foi lá que tive um dos maiores públicos. Foi em Recife que me norteei e vi que minha carreira estava dando certo! Esperávamos 15 mil e havia 60 mil pessoas. É uma forma de retribuir.

E a carreira internacional, tem planos?
O internacional é consequência de um trabalho voltado pra isso. Eu gosto de falar e cantar em outras línguas. Mas não tenho um trabalho focado nisso, mesmo assim estou pronta, c aso aconteça. Eu tenho alguns shows pra serem marcados ainda, mas não sei quando porque a agenda está louca até o carnaval do ano que vem! Mas são shows no exterior, não é uma agenda de compromissos, com divulgação e essas coisas. Meu sonho mesmo sempre foi colocar meu bloco na avenida. Agora que vai o Largadinho, eu quero que ele continue e seja tradicional em Salvador. O resto vai acontecendo… Eu também vou abrir uma empresa em São Paulo chamada 2 T Entretenimento. É muita coisa nova acontecendo, a gente está se virando pra dar certo.

Eu queria que você falasse um pouco do seu ritual de beleza. Tem alguma rotina que você faz questão de manter?
Quando vou pra casa, depois que acaba o show, tiro a maquiagem toda, nunca durmo de maquiagem e poderia ter aprendido isso antes. Depois dos 25 eu fiquei mais atenta a isso. E para o cabelo eu faço hidratação. Tenho sempre um creme, que quem fez foi Zizi pra mim, ela misturou vários produtos. Ele é caseiro, é maravilhoso, não lavo com outra coisa! Ela é dona de um salão, então mistura os cremes com produtos caseiros, eu não sei bem o que vai. Vou pedir a ela e botar a receita no meu Instagram.

E suas fantasias de carnaval, como vão ser?
Ai-meu-Deus! Tem muita pedra, muito cristal! Muito cristal mesmo! É um figurino onde prezo pelo conforto, quero ficar largadinha mesmo (risos). Nada de cabeça, nada de ficar pesado, mas mesmo assim é muito glamouroso! É confortável, largadinha e sem deixar de ser carnavalesco. Tem uma que é mais hippie e folk, tem outra que é disco, aí fica um pouco mais brilhante. As inspirações foram Rita Lee, Baby Consuelo, Janis Joplin, As Frenéticas – Dancin’ Days total! E a seleção brasileira, Novos Baianos, enfim, muitas foram as inspirações.

Ter participado do The Voice fez você voltar ao começo da carreira, vendo e ajudando tanta gente lutar por um espaço?
Sim, eu fiquei muito emocionada porque desde sempre eu trabalhei com foco em mim mesma. Não é uma questão egocêntrica, é que eu sou o produto, tenho as empresas, as pessoas precisam de mim pra trabalhar, eu faço show, que é a diversão de muita gente. É uma coisa assim: a minha banda, a minha roupa… Ali (no The Voice), eu pude transferir muito do que eu aprendi e do meu talento pra outras pessoas. Além de ser altruísmo, de ser algo que me beneficia como ser humano, me fez crescer como artista porque eu nunca havia pensado em produzir outras pessoas. Antes do The Voice, eu nunca pensei em ajudar a dar direção a uma carreira, agora eu passei a pensar. Inclusive, me ajudou muito em relação aos meus negócios, muita coisa cresceu, tenho uma empresa nova em SP, o hotel, camarote… O The Voice ajudou muito nisso.

Você pensa em se mudar para o Rio por conta do The Voice?
Eu já tenho um espaço lá no Rio onde sempre fico, porque tenho filhos, né? Então, não dá pra ficar colocando meus filhos em hotel. Mas é isso.

E quando você lança um produto novo, o que tem de você e o que é pensado na mulher brasileira em geral?
Eu faço essa ponderação, exatamente como você falou. Eu procuro pensar assim, eu sou uma  mulher famosa, ponto. Isso não faz de mim alguém com mais facilidade. Dentro da minha casa, eu tenho problemas pra serem administrados. Por exemplo, quando eu fiz a prova dos esmaltes, eu pensei, ‘vou sair correndo da minha casa, acabei de pintar minha unha e vou trocar de roupa, então, ele tem que secar rápido porque acabei de amamentar, também tenho que ver mais alguma coisa de casa”… É sempre uma correria. As minhas sapatilhas (ela também tem uma linha de sapatilhas) são fantásticas, macias! E são femininas! Porque a mulher tem uma vida difícil: pega um filho na escola, leva o outro no médico, vai não sei mais aonde, a vida é toda atribulada, precisa de conforto! Na minha rotina, que nem é rotina, é loucura total, eu preciso de algo que me mantenha bonita o dia inteiro, perfume com boa fixação, sapato gostoso de usar, esmalte que dure, com uma fixação maravilhosa – e isso tudo o que falo, é verdade, eu testei, tem meu nome, não é propaganda enganosa, não. Já até tive outras propostas, mas eu só me associo ao que acredito, coisas que servem pra mim e para as pessoas que consomem aquilo que indico.

E você vai tirar férias?
Vou, meu próximo projeto. Sou uma mulher de projetos! (risos) Depois do carnaval, tiro vinte dias com minha família. Vamos ficar grudadinhos – e sem babá. Só que agora tenho dois, vamos ver como vai ser! Vão ser as primeiras vacaciones com dois e sem babá!

Você vai pra onde?
Ah, não posso falar. Mas vou para o exterior porque os meus filhos precisam de sossego. Mas se fosse por mim viajaria o Brasil inteiro. Esse é meu sonho, sabe? Meu sonho mais urgente é fazer uma viagem pelo Brasil todo, pelo litoral! Esse desejo é pessoal, só meu. Agora, eu, como mãe, quero estar com meu filhos sozinha, só com meu marido. Gosto de me sentir mãe! Gosto de cozinhar, de fazer o prato deles, gosto de dar banho nos meus filhos. E eu sempre tenho que fazer isso correndo porque estou entre um compromisso e outro. Agora, depois do carnaval, vou curtir esses momentos. E sem celular! Eu fico dez dias sem celular e começo a tremer! (risos).

 

Entrevista: Mariana Scherma

Mais lidas