Uma noite com os gêmeos

Avalie

Há pouco mais de um ano, estava bebendo com dois vizinhos, o Beto e o Guto, irmãos gêmeos que moravam pertinho da minha casa. A conversa rolava solta, estava calor, a cerveja gelada não parava de chegar à mesa e, como não poderia deixar de ser, o assunto da mesa caiu em sexo. Começamos trocando histórias e experiências, rindo das confusões em que todos nós já havíamos nos metido, até que, em determinado momento, o papo foi para os fetiches. O Beto confessou ser voyeur, revelando ficar cheio de tesão ao ver os outros transando, o Guto admitiu que curtia ser dominado na cama e eu, sem pensar nas consequências, assumi que tinha muita vontade de transar com dois homens ao mesmo tempo. Na mesma hora, um dos gêmeos começou a duvidar de mim. Ele falava que eu não teria coragem de sair com dois caras ao mesmo tempo, que só falava aquilo para bancar a moderninha, etc… A provocação começou a me irritar e, já bastante alcoolizada, soltei um: quer apostar que eu consigo? A resposta veio em forma de um beijo do Guto, que calou a minha boca e me deixou completamente surpresa!
– Você aguenta dois mesmo? Então, vamos para a sua casa agora fazer o teste!
Estava um pouco assustada, mas agora não tinha mais jeito. Pagamos a conta do bar e fomos direto para a minha casa. No caminho, o Guto – que foi no banco de trás comigo – já estava mais do que empolgado, me beijava calorosamente, passava a mão pelos meus seios, apertava minha bunda e puxava gentilmente meu cabelo. Pelo retrovisor, podia ver que o Beto me olhava com tanto desejo que parecia me comer, antes mesmo de arrancar minhas roupas. Descemos do carro nos agarrando muito… A mão de um dos meninos já invadia minha calça, enquanto o outro se esforçava para arrancar a minha blusa. O tesão era tão grande, que não consegui chegar até o quarto! Deitei no sofá da sala, arranquei minha calça e pedi para um dos meninos começar a me chupar. Meu Deus! Era impressionante! Ele me lambia com firmeza, passando a língua nos lugares que mais me arrepiavam… Eu já não conseguia diferenciar quem estava comigo! Agarrei o membro de um deles e comecei a chupar no mesmo instante que o outro começou a me penetrar… Nunca imaginei que pudesse sentir tanto tesão! Aqueles dois homens, me comendo, me lambendo e me fazendo gozar fizeram com que eu me sentisse como uma verdadeira rainha. De quatro, não chão da sala, fui possuída por trás por um dos irmãos enquanto lambia deliciosamente o saco do outro. Em muitos momentos, imaginei que fosse desmaiar tamanho o prazer que eu estava sentindo! Na manhã seguinte, quando acordei, estava sozinha na minha cama. Sentia-me tão realizada que tive a impressão de ter sonhado tudo aquilo. Levantei calmamente e fui até a cozinha beber um copo de água, mas, ao passar pela sala, vi que era tudo real: encontrei os dois irmãos, me olhando com o mesmo jeitinho safado, prontos para começar tudo de novo…

Leia amanhã: “Surpresa do namorado”

Mais lidas