Um tesão de correspondência

Avalie

Tenho 30 anos e sempre fui uma mulher apaixonada pelo meu marido, porém, desde que mudamos de casa minha vida se tornou uma loucura completa, tudo por conta do nosso novo carteiro. Sempre que entregava alguma carta parecia me devorar com os olhos, uma atitude que me assustou no começo, mas que com o tempo foi aumentando mais e mais a minha excitação. Em uma tarde mais quente, o convidei para entrar e tomar uma água, mas, ao puxá-lo pela mão senti um arrepio muito forte percorrer meu corpo inteiro e decidi não resistir à tentação. Acabei roubando dele um beijo pra lá de intenso. Ele ficou louco, me agarrava e puxava com firmeza meu cabelo enquanto sua boca percorria meu pescoço, seios e barriga. Meio arrependida, tentei me esquivar, mas era tarde demais. Minha roupa foi arrancada com um único puxão, deixando o meu corpo inteiro à disposição daquele homem delicioso. Dedicado, ele alternava entre beijos e mordidas, agora nas coxas, nos mamilos e, finalmente, na minha gruta, que estava encharcada de tanto prazer! Na minha cabeça,sentimentos como medo, desejo e liberdade se misturavam, fazendo com que eu me sentisse uma nova mulher. Me colocando de costas, começou a me penetrar com força enquanto acariciava meus seios e gemia em meu ouvido o quanto eu era deliciosa. Quase desmaiei de prazer antes mesmo de chegar ao clímax. Até o retorno do meu marido,a cena se repetia diariamente e ainda hoje, 3 anos depois, sempre que possível, encontro aquele homem lindo para ter o melhor sexo da minha vida!

Leia amanhã: “Terapia do Prazer”

Mais lidas