Putinha casada

Avalie

Essa história realmente aconteceu e foi maravilhosa. Me chamo Drika, sou casada há 4 anos. Meu marido sempre foi muito bom pra mim, mas eu nunca fui mulher de um homem só. Em março deste ano me aproximei de um amigo dele, o Edy, um cara legal e bem galinha também, casado. Por motivos de trabalho, Edy viaja sempre e fica o ano todo fora do estado que ele mora. Eu sempre troquei olhares com ele, antes mesmo de me casar, mas Edy nunca chegava em mim, acho que por ser muito amigo do meu marido. Em uma noite conversando com Edy por uma rede social ele perguntou do meu marido, eu disse que estava dormindo, mas se ele quisesse vir assistir um filme comigo estava convidado. Ele disse que não daria pra ir até minha casa, mas se eu quisesse assistir na casa dele no dia seguinte, seria legal. Eu dei risada e ele disse que estava a fim de ficar comigo, mas sempre teve medo de chegar e eu contar para meu marido. Eu disse que não contaria para meu marido por que sempre tive atração por ele. Marcamos de nos encontrar na casa dele no outro dia de manhã. No dia seguinte me levantei bem cedo, tomei um maravilhoso banho e como meu marido já tinha saído para o trabalho não tive medo que ele descobrisse. Coloquei uma calcinha fio dental, um mini shortinho e uma blusinha de alcinha com um decotão: tenho os seios fartos. Discretamente fui até a casa dele e rapidamente entrei. Sem enrolação começamos a nos beijar. Nossa, que beijo perfeito! Que boca carnuda maravilhosa! Ele começou a deslizar a mão dele sobre meu corpo e eu já estava toda encharcada quando ele se abaixou lentamente, tirou meu shortinho e também a calcinha. Eu já estava explodindo! Ele passou lentamente a língua sobre a minha buceta e subiu passando a língua pelo meu corpo, pediu que eu ficasse de joelhos e fizesse um boquete pra ele, e eu, claro, não esperei nem um segundo: comecei a chupá-lo e engolia todo aquele cacete. Sentia a cabeça na garganta. Ele me dava tapas na cara, puxava meu cabelo e me chamava de putinha, e eu, claro, adorava. Deitamos na cama e ele começou a me chupar e lentamente, morder meu grelinho e eu gemia. Quanto mais eu gemia, mais ele me chupava. Ele começou a passar a cabecinha do pinto na minha xoxota. Que delícia! Em seguida penetrou gostoso. Começou lentamente e em seguida metia com força. Que maravilha sentir as bolas dele baterem junto a cada bombada que ele dava! Eu gemia cada vez mais e pedia para que ele me fodesse gostoso. Eu sussurrava em seu ouvido: “mete, mete, mete”. Isso deixava ele louco! Edy já estava todo suado e com alguns arranhões. Certa hora ele olhou bem no meus olhos e disse: “vou gozar sua putinha!”. Eu dei um sorriso e disse: “goza caralho, mais goza bem gostoso na minha xaninha!”. Ele soltou um gemido gostoso, gozou bem gostoso e ficamos ali por alguns minutinhos. Nos levantamos, tomamos banho e começamos a nos beijar de novo. Eu fiquei com vergonha e ele percebeu, disse pra eu relaxar e começou a passar a mão sobre minha xota de novo e com uma voz de safadeza disse que queria comer meu cuzinho. Eu olhei assustada, tentei dizer não, por que nuca tinha levado pica no cu, mas ele me convenceu dizendo que ia com calma. Eu já estava ali mesmo, então resolvi experimentar aquele cacete no meu cuzinho apertadinho. Fomos pra cama, ele me botou de quatro e penetrou o dedo primeiro. Eu gemia e quase desisti, mas ele me passava segurança, então deixei e ele enfiou a cabecinha lentamente. Eu gemia mais alto até que aos pouquinhos ele meteu toda aquela pica grossa e gostosa. Eu gritei de dor e tesão ao mesmo tempo. Foi muito bom! Hoje a gente se fala, tem muito mais amizade que antes, mas não ficamos mais. Resolvemos ficar só na amizade. Às vezes rola um selinho, mas nada mais que isso.

Mais lidas