Meu patrão advogado

Meu patrão advogado
Avaliação 1 - Votos 1

Eu sei que sou uma mulher muito bonita, mas sendo mãe solteira, fica difícil encontrar um parceiro. Trabalho como secretária em um escritório de advocacia. Normalmente fico no trabalho até meu patrão ir embora. Um homem muito bonito e charmoso. Casado, lógico, mas como sua secretária, sei de seus casos. Às vezes até ouço por trás da porta, mas depois me arrependo. Isso é errado… mas delicioso. Em uma dessas noites escaldantes de verão, resolvi ficar trabalhando até mais tarde para terminar de arrumar minhas coisas. Imaginei que meu chefe já tivesse ido embora. Sua sala estava aberta, mas tudo estava desligado, menos seu computador. Quando olhei para a tela percebi que uma janela da internet ainda estava aberta, para a minha surpresa, em um site de vídeos eróticos. Fiquei curiosa e excitada ao mesmo tempo. Rapidamente apertei o play e o vídeo continuou de onde estava parado. Um casal em cima da mesa de jantar, transando de uma maneira que me deixou com um tesão incrível. Aproveitei que estava sozinha para acalmar aquela sensação. Sentei na cadeira do meu chefe, tirei minha calcinha, coloquei as pernas em sua mesa, levantei meu vestido e comecei. Primeiro meus seios, barriga, coxa, virilha… passei a mão por todo meu corpo. Foi quando percebi seu olhar. Parado na porta semiaberta, me encarando com aqueles olhos negros, que agora pareciam mais escuros com o prazer que sentia. Caminhando em minha direção, ele acendeu a luz de um abajur ao lado da mesa. Foi aí que eu vi o volume em sua calça. A adrenalina corria solta por mim. Meu chefe, casado e safado vindo perto de mim e sussurrando no meu ouvido: “Que tal se a gente tirasse esse vestido?”. Ele me deixou louca. Devagar, me colocou em pé, me virou de costas e começou a abrir meu zíper. Enquanto abaixava, passava a mão por todo meu corpo, me deixando arrepiada. Quando me virei novamente, ele já estava nu e me beijou de uma maneira que me desarmou, não conseguia mais escapar das garras daquele homem. Sentei em sua mesa e ele me deitou. Com habilidade, ele beijou meus seios, coxas e aquele botãozinho no meu sexo. Ele colocou seus dedos em mim, me deixou maluca, mas não deixou que eu atingisse o orgasmo. Ele parou de me lamber e, rapidamente, me penetrou. Aquilo me deixou nas nuvens. Era um ritmo interminável. Eu chegava ao ápice e ele continuava. Pela primeira vez um homem me fez ter orgasmos múltiplos. Nunca tinha passado por uma experiência como essa. Fiquei louca, aquele homem sabia o que estava fazendo comigo. Juntos, chegamos ao clímax e desabamos em sua mesa. Hoje, continuo trabalhando para ele, como sua secretária e amante.

Leia amanhã: “Plantão no quartel”

Mais lidas