Mania de chanel

Mania de chanel

Foto: Virna Santólia/Colaboradora

Atualmente, o chanel pode até ser sinônimo de visual clássico, mas, quando surgiu, ele revolucionou a relação das mulheres com os cabelos, já que naquela época apenas as longas madeixas eram referência de beleza.

O corte com franja e fios retos na altura do queixo, deixando a nuca à mostra, foi criado por Coco Chanel meio que sem querer.

Dizem que, após chamuscar as pontas da cabeleira, a estilista resolveu ela mesma passar a tesoura nos fios. Histórias à parte, a verdade é que Chanel queria dar à mulher um cabelo mais fácil e prático de cuidar, fazendo com que o estilo ganhasse popularidade após a Primeira Guerra Mundial, quando a força feminina começou a ser usada nos postos de trabalho.

“Esse look fez e ainda faz sucesso, também, devido à sofisticação e à sensualidade que ele imprime à mulher, por mais comum que ela seja”, revela o hairstylist Ari Persan, do Salão 1838, de São Paulo.

Para todas

Não há restrições de idade para esse corte. De meninas a mulheres mais velhas, todas ficam lindas com o chanel, desde que adaptado ao seu formato de rosto. “Para as jovens, o corte rende um visual boneca.

Já para as mais maduras, a idade é diluída num look que é puro charme”, completa o profissional. E a versatilidade do estilo não para por aí. Seja no modelo original ou em suas diferentes versões, ele consegue render um visual sexy, poderoso, clássico e com um toque de mistério à mulher.

 

Texto: Natália Ortega | Consultoria: Ari Persan, do Salão 1838, de São Paulo, telefone: (11) 3064-0000

 

Mania de chanelQuer conhecer os vários tipos de corte chanel e como cuidar dos curtinhos? Veja na revista Cortes e Ideias 4, que chega às bancas em 23 de agosto!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais lidas