Dúvidas sobre o Espiritismo

A reencarnação e o mundo dos espíritos são cheios de mistérios. Não é à toa que muitos possuem diversas dúvidas sobre o assunto. O Espiritismo é bastante complexo mesmo, e merece uma reflexão profunda e uma pesquisa detalhada sobre seus vários assuntos. Por isso, agrupamos as respostas de algumas das dúvidas mais comuns sobre o tema. Confira!  

Em uma guerra, o soldado que mata para não morrer é verdadeiramente culpado diante da responsabilidade divina?

soldado

Foto: Thinkstock/Getty Images

Não é, a ele foi imposta uma situação em que é necessário salvar-se, portanto, não há intenção real de agredir ou ferir o outro. Responderemos a Deus sempre de acordo com nossa consciência enquanto seres vivos. Diferente disso, no entanto, são as crueldades tidas como crimes de guerra, em que o indivíduo extravasa seus instintos animalizados de agressividade de maneira desnecessária e abusiva, como aplicar torturas ou abusos hediondos a famílias civis, como visto em muitas guerras na história da humanidade. O soldado honrado e digno irá defender-se e defender a seu país com o mínimo derramamento de sangue, lembrando que aquele que veste o uniforme contrário é um ser humano e, talvez, tanto quanto ele, não quisesse estar ali.

Por Wellington Balbo

Minha filha é extremamente parecida com a minha avó que ela nem chegou a conhecer. Pode ser ela reencarnada? Como reconhecer?

mãe e filha

Foto: Thinkstock/Getty Images

Não se assuste, isso pode acontecer e acontece com frequência. Há, inclusive, casos fartamente pesquisados e documentados, tabulados nos detalhes por pesquisadores sérios e imparciais. Todavia, há que se alertar para não fazer desse possível reconhecimento uma neurose individual ou familiar no presente. Na verdade, isso nem é indicado, exceto para casos terapêuticos que ajudem na superação de traumas psicológicos, cuja indicação deve ser feita por profissionais responsáveis na área da psicologia e nunca por mera curiosidade. O espírito retorna à vida material pela reencarnação com objetivos educativos e o esquecimento é providencial na superação de traumas, pois a lembrança perturbaria a fase de continuidade dos objetivos de progresso e aprendizado. Como igualmente é comum que espíritos afins ou vinculados pelos laços de família retornem no mesmo grupo, isso pode acontecer com frequência. Considere-se, todavia, que cada caso é um caso específico e não há como determinar o tempo de permanência no mundo espiritual, cuja duração é muito variável, a depender de suas necessidades evolutivas. Insistir no reconhecimento e até forçar a criança nas lembranças pode causar grandes danos ao equilíbrio dela, que precisa recomeçar. Assim, é possível que seja a avó, mas não há benefício efetivo nesse reconhecimento.

Por Orson Peter Carrara

A gravidez que acontece pela irresponsabilidade de adolescentes faz parte do seu planejamento reencarnatório?

mulher grávida segurando flor

Foto: Thinkstock/Getty Images

Para responder a essa pergunta é preciso considerar a reencarnação natural, que ocorre atendendo aos ditames da natureza. Estando a mulher em período fértil e havendo a fecundação, forma-se um campo vibratório que atrai à reencarnação um Espírito que lhe esteja associado psiquicamente. A reencarnação natural é o modus operandi da Natureza, nos reinos inferiores. Vegetais, insetos, aves, peixes, animais, tudo o que tem vida é sustentado pela presença de um princípio espiritual em evolução pelos condutos da reencarnação. Somente de insetos, calcula-se que haja na Terra uma população de perto de 10 quintilhões, o o número 10 seguido por 18 zeros. São espantosos dois bilhões para cada ser humano. Todos reencarnam incessantemente, num ir e vir permanente, desenvolvendo-se em complexidade, mudando de espécie e raça, evoluindo sempre, até atingir a complexidade necessária para exercitar a razão, transformando-se num espírito, o ser pensante. Impensável que para cada inseto haja um mentor a programar sua experiência reencarnatória. É tudo feito atendendo aos dispositivos naturais e a um planejamento global, efetuado por engenheiros siderais que operam sob a direção do Cristo, o governador espiritual de nosso planeta, conforme informa Emmanuel, o mentor de Francisco Cândido Xavier. Assim sendo, o comportamento sexual promíscuo, sem uso de contraceptivos, pode resultar numa reencarnação não planejada pelo mundo espiritual, embora acompanhada por mentores, e com os benefícios de uma experiência renovadora para a jovem no exercício da maternidade.

Por Richard Simonetti

Por que o Espiritismo é contra os abortos? Mesmo em casos violentos como os de estupro?

mulher chorando com a maquiagem borrada

Foto: Shutterstock Images

O Espiritismo é sempre a favor da vida. Ele nos esclarece sobre a importância de uma encarnação e o valor do aprendizado de cada situação, mesmo a mais desafiadora e dolorosa. Allan Kardec teve o cuidado de perguntar aos benfeitores espirituais na questão 358 de O Livro dos Espíritos: "Constitui crime a provocação do aborto, em qualquer período da gestação?" E recebeu a seguinte resposta: "Há crime sempre que transgredir a lei de Deus. Uma pessoa cometerá crime sempre que tirar a vida a uma criança antes do seu nascimento, pois isso impede uma alma de passar pelas provas a que serviria de instrumento o corpo que se estava formando." É fundamental entendermos que jamais a gravidez acontece ao mero acaso. Existe, sempre, um mecanismo sábio da Lei Divina que visa corrigir ou atenuar sofrimentos. A situação dramática pode representar uma prova de desprendimento para a mãe, que é convidada a sublimar seu sofrimento pessoal e aplicar todos os esforços para amar ao filho, que é efetivamente inocente. Em outras vezes, pode acontecer que espíritos benfeitores, visando amparar a futura mãe, optem pelo reencarne de um espírito simpático (amigo), que poderá vir a ser o seu apoio no futuro. Nestes casos, a eliminação da gravidez através do aborto provocado irá anular este valioso auxílio, que os benfeitores lamentarão ter sido perdido.

Por Antônio Nascimento

No mundo espiritual, o espírito pode fazer sexo? Em que regiões isso ocorre?

casal de mãos dadas

Foto: Thinkstock/Getty Images

Várias obras de literatura espírita revelam que o ato sexual, praticado de forma respeitosa é uma grande troca de energias. Emmanuel, no livro Vida e Sexo, psicografado por Chico Xavier, afirma que "a energia sexual, como recurso da lei de atração, na perpetuidade do universo, é inerente à própria vida, gerando cargas magnéticas em todos os seres, à face das potencialidades criativas de que se reveste". Com base em afirmações dessa natureza, conclui-se que o sexo deve ser visto como uma obra divina, e é uma força poderosa, porém não pode ser liberada de maneira irresponsável, uma vez que o abuso ou a obsessão por sexo pode levar o ser humano ao desequilíbrio. Muitos espíritos que deixam o invólucro carnal ainda sentem desejo sexual, da mesma forma que sentem frio, fome, sede. Tais sensações vão diminuindo, conforme o espírito se adapta à sua nova condição, e não mais sente necessidade das coisas às quais estava acostumado quando vivia na Terra. Porém, se a criatura encarnada é obcecada por sexo, é natural que ela estabeleça vínculos vibratórios com espíritos desencarnados da mesma faixa vibratória. No Umbral, localizado perto da crosta terrestre, onde vivem espíritos cuja vibração é muito baixa, espíritos mantêm relações sexuais com outras criaturas, em ambiente de vampirização. Pode acontecer que durante o sono físico o encarnado vá encontrar-se com espíritos afins em busca de sexo, em esferas de baixa vibração. A mentalização de encarnado para desencarnado, é o suficiente para que eles sejam levados para tais lugares. Esses espíritos se encontram no vale do sexo do Plano Espiritual ou em lugares do mundo material onde a prática da prostituição é intensa ou de vibração negativa.

Por Marisa Fonte

Quando acontece um acidente de avião e todos morrem, era a hora de todos?

criança triste

Foto: Shutterstock Images

Partindo da premissa que as leis de Deus são justas, concluímos que nas mortes coletivas era a hora de todos retornarem ao mundo espiritual, tanto que vemos pessoas que deveriam estar no local do acidente ou no avião, mas que se atrasaram trocaram com outras pessoas ou sobreviveram, sendo que nessas ocorrências notamos a intervenção dos bons espíritos para que não ocorram injustiças. As pessoas que morrem num mesmo acidente estão reparando débitos individuais ou coletivos. Os débitos coletivos são contraídos quando indivíduos, em grupo, praticam erros, violências, corrupções, de forma que, oportunamente, as Leis Divinas os reúnem novamente para o devido reajuste. Trata-se da incidência da Lei de Causa e Efeito. Indicamos dois livros para que os leitores possam buscar maiores informações sobre o assunto: Ação e Reação, de Francisco Candido Xavier, mais especificamente no capítulo 18 (resgates coletivos), e Transição Planetária, de Divaldo Pereira Franco.

Por Alessandro Viana Vieira de Paula

SAIBA MAIS
Mediunidade: você tem? 

Mais lidas