Como os pets podem ajudar os donos

Como os pets podem ajudar os donos

Foto: Thinkstock/Getty Images

É muito comum nos entregarmos à tristeza quando perdemos alguém querido. Nos primeiros dias após a perda é aceitável que choremos e desabafemos, extravasando a dor de seguir o caminho sem a companhia daquele que nos era caro. Entregar-se em demasia a essa dor e ao sofrimento faz mal não apenas para nós, mas também para o desencarnado e para todos que nos rodeiam. É preciso dar a volta por cima e tocar a vida como se cada dia fosse um recomeço.

Terapia do amor

Você sabia que ter um bichinho de estimação pode ajudá-lo no combate à melancolia e até mesmo na cura de doenças? A psicologia e a medicina endossam esta afirmação através de pesquisas e acompanhamentos de pessoas e seus animais de estimação. “Se para pessoas em condições absolutamente normais a presença de um bicho de estimação é benéfica, para pessoas fragilizadas ela é ainda mais relevante, podendo se tornar a essência da vida!”, explica o médico geriatra norte americano Willian Thomas, especialista no tratamento de idosos com depressão.

A Terapia com o auxílio de animais (PFT– Pet Facilitated Therapy) é usada em casas de repouso e tratamento de crianças e pessoas especiais em todo o mundo, inclusive no Brasil. Os resultados são imediatos, principalmente nos idosos que demonstram aumento na sociabilidade.

A convivência com um animalzinho de estimação _ que pode ser um cão, um gato, um passarinho ou até mesmo um bichinho mais exótico como um furão ou um hamster_ além de contribuir para o seu bem-estar psicológico, pode contribuir também na prevenção e no auxílio ao tratamento de várias doenças. “Animais de estimação ajudam a evitar a depressão em idosos, principalmente nos que tem menor contato com pessoas!” _ afirma a Dra. Erika Fridemann, bióloga e presidente do Departamento de Saúde e Nutrição da Faculdade do Brooklyn, na Universidade de Nova Iorque, EUA.

Viva a amizade!

Mas o sucesso não se aplica apenas aos idosos e sim em qualquer pessoa que possua um bicho em casa ou de convivência; como mostra uma pesquisa feita pela Comissão de Animais de Companhia (Comac), entidade integrante do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan). Os estudos sobre o tema, que foram encomendados pelo Departamento de Psicologia Experimental da Universidade de São Paulo (USP), confirmam a contribuição à saúde das pessoas proporcionada pelo convívio com os animais de estimação. Ficou comprovado a melhora da imunidade de crianças e adultos, redução dos níveis de estresse e da incidência de doenças comuns, como dor de cabeça ou resfriado.

A companhia de um bicho só nos faz bem, mas é preciso ter cautela nesta convivência. Os animais são apenas animais e assim serão até o próximo passo na sua evolução como mostra a seguir a declaração de León Denis: “A alma dorme na pedra, sonha no vegetal, agita-se no animal e desperta no homem!”, de forma que todos tem o momento certo para evoluir e ninguém pode alterar esse processo. Apesar da boa relação entre humanos e animais, não é correto humanizá-los, tratando os bichos como se fossem pessoas.

Pequenos gestos – Grandes mudanças

Acariciar seu animal de estimação por alguns instantes pode elevar os níveis de imunoglobulina A, um anticorpo presente nas mucosas que evita a proliferação viral ou bacteriana, sendo importante na prevenção de várias patologias.

Passear com seu animal ajuda no controle da ansiedade, ajuda a relaxar a mente e o corpo, além de colaborar no combate à timidez e retração social, uma vez que os animais ajudam na integração social.

Pessoas com pequenos problemas de saúde, como dores de cabeça, problemas estomacais e gripes, que adotam um animal de estimação, podem apresentar redução desses problemas.

Saiba mais

– Todos os animais merecem o céu – Marcel Benedeti – Editora Mundo Maior

– Chico Xavier, o amigo dos animais – Carlos A. Baccelli – Editora Leepp

– Os animais conforme o espiritismo – Marcel Benedeti – Editora Mundo Maior

– Conheça a alma dos animais – Severino Barbosa – Editora EME

 

 

Alma animal

 

 

Para conferir mais dicas, adquira a revista Espiritismo – Alma Animal. Já nas bancas!

 

 

 

 

 

Mais lidas