Afine a cintura

A barriga é a parte do corpo com que a maioria das pessoas mais se preocupa, principalmente as mulheres. E o abdômen saliente pode aparecer também em quem está dentro do peso. “Pouca hidratação; excesso de gordura saturada, carboidratos refinados e açúcar; carência de fibras, vitaminas e ômegas; inatividade física: tudo isso dificulta a perda de gordura abdominal, que é a mais fácil de ser acumulada”, explica a nutricionista Luana Vasconcelos.

Existem alimentos especiais, capazes de dar uma forcinha para quem quer ter a barriga bem desenhada. Confira como agem os nutrientes presentes neles e outras dicas para mandar a gordura embora!

 

Afine a cintura

Foto: Purestock/Diomedia

 

Ômega 3

Os carboidratos consumidos e que não são utilizados pelo organismo ficam armazenados em forma de gordura que se concentra na barriga. O ômega 3 ajuda a diminuir esse processo. “Ele melhora a ação da insulina, que passa a utilizar melhor a glicose. Assim, evita que ela sobre no sangue e vire gordura”, explica Luana.

O ômega 3 também age como anti-inflamatório no hipotálamo, região do cérebro que controla a fome. Com isso, regula-se a liberação do hormônio leptina, que controla o apetite.

Onde encontrar?
• Peixes: pelo menos 1 filé 3 vezes por semana. Salmão, atum, arenque, sardinha e cavala são os campeões em ômega 3.
• Linhaça: 2 colheres (sopa) da semente triturada, salpicada em iogurte desnatado, sucos naturais, frutas ou saladas.

Ômega 9

“Alimentos ricos nessa gordura monoinsaturada são eficientes para a redução da circunferência abdominal e do colesterol. Esse nutriente é utilizado pelo organismo para formar hormônios e neurotransmissores e contribui para a diminuição dos processos inflamatórios relacionados ao excesso de peso”, revela o nutrólogo Maximo Asinelli.

Onde encontrar?
• Azeite extravirgem: 1 colher (sopa) por dia.
• Oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas): 2 unidades por dia.
• Abacate: 1/4 da fruta em dias alternados da semana.

Fibras solúveis

Essas substâncias dissolvem-se em água, formando um gel viscoso que recolhe parte das gorduras ingeridas na alimentação e faz com que o açúcar seja absorvido de maneira gradual. Essas ações impedem o acúmulo de gordura visceral (que envolve os órgãos internos) na barriga. É como se as fibras “limpassem” o organismo das gorduras. Mas elas só agem na presença de água – por isso, junto com o aumento da ingestão de fibras, eleve também a de água!

Onde encontrar?
• Aveia: até 2 colheres (sopa) do farelo por dia.
• Frutas: 3 unidades por dia. Lembre-se de consumir com casca as que forem possíveis (maçã, pera, goiaba, ameixa) e outras com o bagaço, como laranja e tangerina.
• Leguminosas: 1 concha de feijão, lentilha, ervilha ou grão-de-bico.
• Legumes: cenoura, abobrinha, pimentão, brócolis e outros podem ser consumidos à vontade, variando na semana.

Melhor evitar

Bebidas alcoólicas: “Têm muitas calorias e nenhum nutriente. Ou seja, não contribuem para as funções do organismo e estimulam o acúmulo de células adiposas (que armazenam gordura) na barriga”, diz o nutrólogo Maximo Asinelli.
Açúcar: “Facilita a inflamação do organismo e o consequente aumento da gordura na barriga”, comenta a nutricionista Luana Vasconcelos. Além do açúcar no cafezinho, lembre-se do presente em bolos, biscoitos, balas e refrigerantes.
Produtos industrializados: congelados como hambúrguer e frango empanado, molhos prontos, bolachas e outros alimentos industrializados são ricos em gordura e sódio. “Dificultam a absorção e utilização dos nutrientes que ativam o metabolismo, como o magnésio e o ômega 3”, diz Luana.

Hora de malhar

Você já deve ter ouvido falar que fazer exercícios localizados como os abdominais não queimam a gordura da barriga. Mas a realidade é menos radical: os exercícios localizados fortalecem a região do abdômen, ajudando a criar mais massa magra, que gasta mais calorias e, consequentemente, aumenta a perda de gordura. Com o abdômen fortalecido, a postura se corrige e há menor risco de desenvolver os pneuzinhos. Porém, para obter o resultado, é preciso aliar os abdominais com exercícios aeróbicos regulares (pelo menos 40 minutos por dia).

Texto: Marisa Sei
Consultoria: Luana Vasconcelos, nutricionista; Maximo Asinelli, nutrólogo

 

Afine a cinturaVeja mais sobre dietas na revista 100% Saúde – Alimentos que emagrecem, que chega às bancas em 09/09.

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais lidas