Conheça o estilo de decoração kitsch

Avalie

Você conhece a decoração kitsch? Esse termo, de origem alemã, serve para classificar diferentes estilos, geralmente extravagantes. O kitsch é definido pelo exagero, o uso excessivo de elementos decorativos  e cores vibrantes nos ambientes. Para saber como aderir ao estilo, veja dicas dos professores do curso de Arquitetura e Urbanismo da Anhembi Morumbi Rechilene Maia, Claudio Lima Ferreira e Vanessa Chimirra.

A estética kitsch

Rechilene afirma que “miscelânea” é uma palavra que define bem este estilo que vem crescendo a cada dia, principalmente na classe média. “O kitsch é um produto da industrialização e cultura de massa”, afirma.

“Este tipo de decoração abusa das linhas curvas e das cores fortes, cítricas e principalmente contrastantes. Além disso, é comum que as superfícies sejam texturizadas ou imitando texturas naturais, como peles ou superfícies da natureza. Tudo dentro deste estilo é utilizado com muito abuso”, acrescenta a professora.

As cores que predominam na decoração kitsch são: lilás, violeta, vermelho e rosa.

Elementos que definem esse estilo

Os elementos do kitsch ao mesmo tempo em que conflitam na decoração, também criam um clima divertido e de descontração. “Podemos citar os pinguins de geladeira, jarras em formatos de frutas, cofrinhos… atualmente encontrados em lojas de decoração em várias versões. Porém, existem produtos que até bem pouco tempo não eram apreciados e atualmente são praticamente objetos de galerias de arte, como telefones antigos, objetos de porcelanas extravagantes, abajures e geladeiras antigas“, afirma Rechilene.

Como usar o kitsch na decoração?

A professora Vanessa Chimirra afirma que almofadas estampadas em flores ou pele de animais também podem ser utilizadas com abundância. “Na geladeira podemos colocar os clássicos pinguins e muitos ímãs de lembrança daquela viagem inesquecível”, aponta.

Muitas vezes, objetos e móveis que temos em casa ficam esquecidos em algum canto. Eles podem não ter uma forma ou cor, mas com uma releitura, como uma pintura colorida, o conceito muda. Para utilizar os móveis com cores vibrantes sem deixar o ambiente carregado, Vanessa aconselha não colorir a casa toda. “Procure deixar sempre alguns tons neutros para mesclar o ambiente e não carregá-lo”, diz.

Decoração kitsch sem gastar muito

Se você quer investir nesse estilo de decoração, mas não quer ultrapassar o orçamento, Claudio Ferreira ensina: “Molduras exageradas são uma boa forma de aplicar este estilo sem gastar muito. Mas você ainda pode exagerar nas cores e texturas das almofadas do sofá, nos porta-retratos espalhados com estilos diferentes, nos espelhos decorados, nas porcelanas diferentes”, conta o coordenador do curso de arquitetura da Anhembi Morumbi.

Consultoria

Claudio Lima Ferreira, coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo da Anhembi Morumbi
Rechilene Maia, professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Anhembi Morumbi
Vanessa Chimirra, professora do curso de Arquitetura e Urbanismo da Anhembi Morumbi

Mais lidas