Papa Francisco faz oração especial e concede indulgência plenária devido à pandemia

Ato inédito na Igreja Católica dá perdão a todos os fiéis pelos seus pecados

indulgência plenária
Foto: Divulgação/Vatican News

Nesta sexta (27), o Papa Francisco realizou uma benção extraordinária de “Urbi et Orbi“, feita especialmente na Páscoa e no Natal, datas em que se lembra o nascimento e a morte de Jesus, para alertar e implorar pelo fim da pandemia de coronavírus no mundo. Sozinho, diante da praça de São Pedro, no Vaticano, o santo padre ainda concedeu indulgência plenária – o perdão de todos os pecados – aos fiéis. O feito é inédito na história do cristianismo.

A graça permite que mais de 1,3 bilhão de católicos sejam absolvidos de suas heresias, afim de que encontrem a paz no divino, durante essa fase tão difícil para a saúde global. Em dos momentos, o Papa citou que só conseguiremos passar dessa situação unidos. “Neste barco, estamos todos como os discípulos que falam em uma só voz: ‘Estamos perdidos’. Não podemos andar avante cada um por sua conta, mas somente juntos”, declarou.

A postura de Francisco, assim como a indulgência plenária, fortalece a gravidade da expansão do Covid-19, principalmente na Itália, o país mais afetado pela doença. Diante do estado de emergência, ele ainda faz um apelo ao divino: “Deus onipotente e misericordioso, olha a nossa dolorosa situação: conforta teus filhos e abre nossos corações à esperança, porque sentimos sua presença de Pai em nosso meio“.

Como orientação, o santo padre ainda ressalta que esse é o momento de olharmos para nós mesmos e seguirmos o caminho de Deus, de pararmos de pensar só na nossa imagem, mas em se preocupar com os outros. “Vamos adiante sentindo-nos fortes e capazes de tudo, com pressa. E não paramos diante dos chamados das guerras e das injustiças humanitárias. Não ouvimos o nosso mundo gravemente doente. É tempo de colocar a rota da vida na sua direção, Senhor“, declara.

No meio da cerimônia, o Papa ainda cita e agradece os trabalhadores que permanecem em seus postos, atendendo a população. Dentre eles médicos, enfermeiros, profissionais da saúde, faxineiros, funcionários de supermercados e estabelecimentos alimentícios. “Nossas vidas são tecidas e apoiadas por pessoas comuns, geralmente esquecidas, que não aparecem nas manchetes dos jornais e revistas ou nas grandes passarelas, mas, sem dúvida, escrevem hoje os eventos decisivos da nossa história“, disse em oração.

Por fim, ele afirmou que, mesmo a população tendo fé, ela ainda é fraca, pois todos têm medo do hoje e do futuro. Com isso, ele pediu para não temerem, porque “Deus tem cuidado de todos”.

Indulgência plenária e o crucifixo milagroso

Após a missa, o Papa Francisco se recolheu na Basílica de São Pedro, onde foi exposto o crucifixo milagroso” de Roma. O símbolo é tido pelos católicos como uma das graças responsáveis pelo fim da peste negra na cidade, em 1519. Desde então, o artefato ganhou fama de acabar com grandes epidemias pelo mundo.

Na sequência, o santo padre fez uma meditação, e o Santíssimo Sacramento foi colocado no altar localizado no átrio da basílica. O cardeal Angelo Comastri ainda anunciou que “o Santo Padre Francisco, a todos aqueles que recebem a bênção eucarística também por meio da rádio, da televisão e de outras tecnologias de comunicação, concede a indulgência plenária na forma estabelecida pela Igreja“.

Assista a missa completa

Leia também: