Ilusão de ótica: o gato está subindo ou descendo a escada?

O gato está subindoo ou descendo a escada nessa imagem? Essa ilusão de ótica parou a internet e dividiu opiniões. Qual é a explicação?

None
Imagem: Reprodução / Internet

por Redação Alto Astral
Publicado em 26/10/2016 às 10:53
Atualizado às 18:49

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Já notou que há imagens que parecem uma coisa, depois parecem mudar? Isso pode ser um tipo de ilusão de ótica, chamada imagem biestável! Vamos ver um exemplo? Descubra o mistério por trás desse gato!

gato subindo descendo escada ilusao otica

Imagem: Reprodução / Internet

Gato subindo ou descendo?

Essa pergunta rodou a internet há pouco tempo e deixou muita gente intrigada. Se um perito analisasse a imagem acima, diria que o gato está descendo a escada, e a pessoa tirou a foto estando no andar de baixo.

A explicação é que cada degrau tem um detalhe, uma “irregularidade’, notada quando se olha a escada de baixo para cima. Se o bicho estivesse subindo, o plano normal de cada degrau apresentaria essa irregularidade – o que é bem estranho, do ponto de vista da funcionalidade de uma construção.

gato subindo descendo escada ilusao otica

Imagem: Reprodução

Explicação

Para fazer uma avaliação de toda a paisagem, seu cérebro detecta sinais que possam auxiliar em sua interpretação final. Nesta foto, alguns sinais podem ser interpretados de formas diferentes ou até de forma ambígua pelas pessoas em momentos distintos.

Se você encarar que a claridade na parte superior da imagem tem relação com a luz natural, do sol, e perceber o céu ao fundo, é mais provável interpretar que o bichano desce os degraus. Essa claridade, por sua vez, levaria (quem a subisse) ao ponto mais alto do ambiente. Um terraço, talvez.

Mas, quem acredita que a claridade tem origem artificial, como uma lâmpada no cômodo abaixo da escada, irá interpretar que o gato está subindo (nesse caso, sem dar tanta atenção aos detalhes nos degraus).

Interpretações pessoais

É importante lembrar que a interpretação final de cada cérebro depende das memórias remotas arquivadas e de suas experiências vividas, como onde a pessoa mora ou trabalha, sua percepção que tem de sombras e luminosidade…

LEIA TAMBÉM!

TEXTO e EDIÇÃO: Ricardo Piccinato