Você sabia que o Arcanjo Miguel é reconhecido em várias religiões?

Não é só na Igreja Católica: o Arcanjo Miguel também é reconhecido em outras religiões

None
Imagens: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 24/10/2016 às 11:35
Atualizado às 18:50

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

De origem muito antiga, a existência e importância de Miguel foram assimiladas por diversas religiões e culturas, cada uma a seu modo. Aos poucos, foram aparecendo santuários e castelos em sua homenagem. Saiba como algumas crenças reconhecem o arcanjo:

Catolicismo primitivo: Os primeiros santuários cristãos dedicados a Miguel começam a aparecer no século 4 d.C. Conhecido como anjo da cura, era venerado na Frígia que, anos depois, se tornaria a Turquia. O templo mais antigo e conhecido do Oriente Próximo era chamado de Michaelion e associado com águas medicinas. Sua construção foi iniciada no século 4 d. C. pelo imperador romano Constantino I. Com o passar dos anos, Miguel passou a ser reconhecido também como protetor e líder do exército de Deus contra as forças do mal, passando a ser representado como um guerreiro em batalha.

Catolicismo: A importância de Miguel é tamanha que recebeu o título de santo pelos católicos romanos e ortodoxos sem ter passado pelo processo de canonização. Os ortodoxos lhe deram o título de “comandante supremo das hostes celestiais”. A São Miguel, são dados quatro papéis principais. Primeiro, como comandante do exército de Deus e modelo angélico para as virtudes de guerreiro espiritual. Em seguida, como anjo da morte responsável por levar as almas dos falecidos para o céu. Em terceiro, mede as almas em uma balança. Por último, como patrono do povo escolhido no Antigo Testamento e guardião da Igreja.

reconhecido

Imagens: Shutterstock Images

Protestantismo primitivo: Uma das primeiras vertentes acadêmicas protestantes identificaram Miguel como pré-encarnação de Cristo, ideia baseada nos atributos dados a ele no Evangelho de Daniel.

Testemunhas de Jeová: Acreditam que há apenas um arcanjo. Para eles, Jesus e o arcanjo Miguel são a mesma pessoa, recebendo o nome do anjo antes de vir à Terra e quando retornou para o céu.

Adventistas do Sétimo Dia: Os adventistas definem o arcanjo como a força antes de ser encarnado como Jesus, recebendo o nome de Miguel para mostrar sua verdadeira identidade. O nome seria também um dos títulos associados ao filho de Deus, sendo a segunda pessoa da divindade.

Mórmons: Para os seguidores da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, Miguel seria Adão, príncipe e patriarca da família humana, além de ajudar Jeová a criar o mundo sob o comando de Deus.

Islamismo: Chamado de Micail, o arcanjo é considerado o chefe da ordem das virtudes e dos arcanjos, além de ser príncipe da presença, anjo do arrependimento, da justiça e misericórdia e conquistador de Satanás.

LEIA MAIS

Texto: Karina Alonso/Colaboradora – Edição: Natália Negretti