Educação financeira infantil: saiba ensinar seus filhos sobre finanças

As crianças devem aprender desde cedo o valor do dinheiro, e você tem papel importante nesse ponto!

Menina segurando cofrinho e mãe colocando moeda
A educação financeira é essencial para as crianças! Foto: Shutterstock

Dinheiro é coisa séria e, se é difícil até para os adultos lidarem com ele, imagine para as crianças! Os pequenos não entendem muito bem a relação entre os valores das coisas e a quantidade de dinheiro disponível e, por isso, às vezes fazem pedidos mirabolantes. Compreender como funciona essa ligação, além de aumentar a independência da criança, ajuda na formação de adultos conscientes. Ricardo Melo é consultor, escritor e palestrante especializado em coaching financeiro e vai ajudar você a descomplicar o assunto e ensinar a educação financeira para as crianças.

Pesquise com seu filho na hora de comprar

Não dê tudo na hora. Antes de comprar o que ele pediu, cheque valores em várias lojas e sites, assim, ele percebe que o dinheiro não chega tão fácil. “Um exemplo: se a criança pedir um picolé, sempre que possível vá a um shopping em umas duas ou três lojas diferentes para ver o preço do picolé. O intuito da educação financeira, nesse caso, é mostrar para a criança a importância de fazer pesquisa”, ensina o especialista.

Coloque as moedas de troco num cofre

Sempre que chegar em casa, verifique os bolsos e coloque as moedas que recebeu no dia num cofre. Depois de um ano, cheque o valor que tem no cofre, junto com seu filho. Assim, ele pode ter noção da economia que tiveram ao pesquisar os preços de qualquer coisa. Além disso, é uma boa opção celebrar o dinheiro que foi guardado. “Faça algo legal com a criança para que ela perceba que quando a gente economiza acaba ganhando algo em troca. A educação financeira ajuda a associar uma emoção positiva à ideia de economizar”, explica Ricardo Melo.

Seja exemplo de educação financeira

É importante que a criança perceba que os pais valorizam o dinheiro. Os filhos seguem o exemplo dos pais, portanto, não adianta cobrar uma boa educação financeira se você não faz isso. Não compre nada de maneira impulsiva, sempre reflita com seu filho “Eu preciso disso?” Se a resposta for sim, pense “E preciso agora?”. Assim, você mostrará à criança a maneira de pensar duas vezes antes de comprar.

Planeje com antecedência

Quando você programa antes, geralmente consegue bons descontos em itens como viagens ou produtos. Assim, mais uma vez, a criança percebe a importância de economizar e saber o momento certo de gastar o dinheiro. Além disso, gastos de última hora podem comprometer seu orçamento.

 

LEIA TAMBÉM: