Como ficam os cuidados com os olhos no inverno?

Conversamos com um oftalmologista para saber as principais doenças da estação e como evitá-las

Cuidados oculares no inverno
Cuidados oculares no inverno - Shutterstock

por Thaís Lopes Aidar
Publicado em 24/06/2021 às 22:00
Atualizado às 22:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Com a chegada do inverno, alguns cuidados com a saúde precisam ser redobrados devido às condições climáticas da época, as quais podem favorecer ou intensificar doenças.

Nessa estação, além das quedas na temperatura, a umidade relativa do ar fica mais baixa, ou seja, o tempo se torna seco. Com isso, a proliferação de vírus e bactérias tende a aumentar, assim como os problemas respiratórios.

Uma região sensível de nosso corpo que requer cuidados especiais durante os dias mais frios são os olhos. Segundo o oftalmologista Sergio Shibukawa, esses fatores do inverno diminuem a lubrificação adequada da lágrima, assim, ela evapora rapidamente. Dessa forma, favorece o aparecimento de patologias oculares, como a conjuntivite - altamente contagiosa - e a ceratite córnea. 

"A síndrome do olho seco, ocasionada também pela má formação lacrimal, é outro problema que se agrava nessa época do ano, deixando os olhos mais secos, ou seja, mais propensos à ação de bactérias e fungos", explica o médico.

Embora as condições possuam tratamentos, o especialista alerta que, em casos mais graves, elas podem levar à perda total da visão. Por isso é tão importante adotar métodos de prevenção e cuidados adequados com os olhos.

"Beber bastante água para garantir uma hidratação de dentro para fora e consumir alimentos ricos em vitaminas A e E, como frutas e verduras, ácidos graxos e ômega 3 podem ser de grande ajuda nesse preventivo", afirma Sergio.

A higiene também é imprescindível para a saúde ocular. A orientação do oftalmologista é jamais levar às mãos sujas aos olhos e coçá-los, o ideal é sempre lavá-las antes desse contato — ainda mais agora, com o alto contágio do coronavírus. 

Além dessas práticas, o uso de colírios lubrificantes pode ser necessário para garantir o bem-estar da região. No entanto, para usá-los é fundamental ter prescrição e supervisão médica. Antes de iniciar qualquer tratamento, busque um médico. 

Fonte: Sergio Shibukawa, oftalmologista e membro do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.