Antes mesmo de adotar, saiba os cuidados que os pets exigem

Está em busca de um 'filho' peludo? Análise sua situação antes de adotar um animal de estimação

Cuidados ao adotar um pet
Cuidados ao adotar um pet - Reprodução / Shutterstock

por Beatryz Gaia
Publicado em 23/03/2021 às 20:00
Atualizado às 20:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Durante a pandemia, a procura por um amigo de estimação cresceu ainda mais do que nos anos interiores. Só em São Paulo, a organização não governamental União Internacional Protetora dos Animais (UIPA), localizada na Zona Norte da capital paulista, registrou crescimento de 400% na procura por cães e gatos.

No entanto, vale destacar que toda adoção ou compra de um animal significa ter responsabilidades. “Antes de pegar um pet você precisa saber como funciona a dinâmica da sua família, analisar seu estilo de vida, se você tem crianças, se tem tempo para passear, se mora em casa ou apartamento, se há algum jardim ou área verde e quais os cuidados que aquele animal precisa”, afirma Carolina Botelho, dona dos cães Dingo e Cacau.

Ela criou o perfil do Instagram "Os Paulistinhas", que reúne 202 mil seguidores, ou “aufãs”, como gosta de se referir. Na página, além de mostrar o dia a dia de seus amigos de quatro patas, ela aborda temas como a responsabilidade dos tutores.

Reprodução / Shutterstock

Além do mais, um dos principais motivos que leva a ter um animal é a saúde mental. Uma pesquisa publicada em junho de 2020 na revista acadêmica Journal of Veterinary Behavior analisou o papel dos pets durante a pandemia do novo coronavírus, e 75% dos entrevistados disseram que os animais ajudaram a lidar com o período de confinamento.

“Para mim, em termos de cabeça, eles fazem muito bem. Na quarentena, se não fosse eles, eu acredito que eu teria ficado maluca, temos uma conexão muito forte, eles me dão força e me acalmam, são uma base”, explica a mãe de pet.

Para quem deseja adotar um bicho, a recomendação é analisar a situação antes recebe-los em sua casa. Os custos podem variar conforme a espécie e a raça, mas é importante ter em mente que há de se considerar a alimentação, consultas veterinárias, vacinas, remédios, brinquedos e custos gerais.

Cães de pequeno porte possuem necessidades diferentes dos de grande porte, já os gatos têm outra dinâmica: são mais independentes e gostam de ficar em casa. Entretanto, qualquer animal exige uma rotina de cuidados específica, que pode levar bastante de seu tempo. Portanto, o ideal é conversar com profissionais e outros tutores para se informar antes de adotar o novo amiguinho.

Consultoria: Carolina Botelho, dona dos cães Dingo e Cacau, e criadora do perfil "Os Paulistinhas" no Instagram.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.