SAÚDE

Entenda como a cúrcuma ajuda a combater doenças crônicas

Com ação anti-inflamatória, a planta ajuda na recuperação pós-exercício e na prevenção de doenças como o Alzheimer

Benefícios da cúrcuma
Benefícios da cúrcuma - Shutterstock

por Equipe Alto Astral
Publicado em 27/03/2021 às 15:00
Atualizado às 15:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Com a valorização de hábitos de vida mais saudáveis, a suplementação com ativos naturais tem ganhado cada vez mais espaço, e a cúrcuma, com tantas vantagens, não poderia ficar de fora. Também conhecida como açafrão-da-terra, a planta é da família do gengibre.

Com seu sabor marcante, a cúrcuma vai desde tempero até corante natural e ativo medicinal. Sua suplementação oferece grandes benefícios metabólicos, trazendo uma potente ação anti-inflamatória e antioxidante. Isso significa que além de prevenir e ajudar a combater diversas doenças de origem inflamatória, ela ainda evita o envelhecimento celular precoce, melhorando a saúde cognitiva e contribuindo para uma vida com mais longevidade

"Para tornar o consumo mais prático, é possível contar com cúrcumas encapsuladas, que podem ser encontradas em farmácias de manipulação.", recomenda o nutricionista esportivo ortomolecular Rafael Félix, da Via Farma.

O poder do ativo

Por si só, a propriedade anti-inflamatória da cúrcuma já é suficiente para prevenir e combater diversos males, incluindo casos de inflamação sistêmica. "Esses quadros se instalam devido a diversos fatores, como alimentação desequilibrada, sedentarismo, ingestão de álcool, falta de sono, tabagismo e exposição à poluição", exemplifica Félix.

De acordo com o nutricionista, esses hábitos podem gerar uma inflamação crônica, aumentando a pré-disposição para doenças cardiovasculares, diabetes e câncer, por exemplo. Para reverter a inflamação sistêmica e prevenir suas consequências, nada melhor do que a mudança do estilo de vida e a adoção de uma estratégia alimentar adequada. 

"A cúrcuma ajuda a frear a liberação de citocinas pró-inflamatórias, que são proteínas responsáveis por estimular o processo de inflamação no organismo. Assim, o estresse oxidativo também diminui, o que explica, em conjunto com outros mecanismos de ação, a capacidade antioxidante da curcumina", afirma a nutricionista ortomolecular Claudia Luz.

De acordo com a especialista, essas propriedades ainda garantem ao ativo a capacidade de aliviar a dor e combater doenças reumáticas, como a artrite. "Estudos também sugerem que a cúrcuma pode atuar na prevenção de patologias como o Alzheimer, Parkinson, depressão, esclerose múltipla e doenças autoimunes, que estão associadas a quadros inflamatórios".

O ativo é muito usado por praticantes de exercícios físicos e atletas para potencializar a recuperação dos músculos. "Quando a prática esportiva é intensa, os danos sobre as fibras musculares também são mais significativos. Para evitar que a performance seja prejudicada, são indicadas suplementações que ajudam no processo de restauração muscular. A cúrcuma é muito utilizada nesse contexto, pois diminui o estresse oxidativo nos músculos, acelerando sua recuperação", explica Félix.

O nutricionista ressalta que o ativo não tem grandes contraindicações, devendo ser evitado apenas na gestação, durante períodos pré-cirúrgicos e em pessoas hipersensíveis à cúrcuma ou que usam medicamentos anticoagulantes.

Consultoria: Claudia Luz, nutricionista ortomolecular, e Rafael Félix, nutricionista esportivo ortomolecula.