Conheça os tipos de obsessões segundo o espiritismo

O mundo espiritual tem várias curiosidades que podem trazer mais esclarecimento para sua vida. Saiba como o espiritismo explica os tipos de obsessões

None
Foto: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 03/07/2017 às 11:00
Atualizado às 11:46

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Dado à complexidade do tema que necessita estudos mais acurados, falaremos aqui sobre linhas gerais com um único propósito de introdução a este tópico. Allan Kardec, estudando o assunto no O Livro dos Médiuns, a partir do item 250, fala sobre a classificação das obsessões que começam desde simples influências até a subjugação de um espírito sobre o outro, passando ainda pela fascinação.

Obsessões simples

Nos casos de obsessões simples, Kardec nos informa: “o médium sabe muito bem que se acha presa de um espírito mentiroso e esse não se disfarça e de nenhuma forma dissimula suas más intenções e o seu propósito de contrariar”. Nesses casos o obsidiado reconhece a ação e se mantém em guarda para evitar que o processo avance. Muitas vezes, uma ideia estranha lhe vem ao pensamento, mas ele a rechaça não permitindo que crie raízes em si.

A vigilância se faz presente o que, aliás, deve ser este o nosso procedimento diuturno, já que os espíritos estão por toda a parte. No grau seguinte encontramos a fascinação onde o espírito obsessor seduz o médium, aproveitando de sua não vigilância. Nesses casos é comum o obsidiado sentir-se poderoso, belo em demasia ou buscar essa beleza a qualquer custo. Julga-se melhor que todos tornando-se diferente do que era antes do processo.

Quase sempre não aceita que lhe digam que ele está diferente. Autoavalia-se como muito superior e essa superioridade o induz a rechaçar todo e qualquer conselho que alguém tenta dar-lhe. Se contrariado utiliza-se das famosas “carteiradas” o que o torna antipático ao meio e evitado pelos que antes o admitiam em seus círculos de amizades. Pode ser que comece a fazer uso de bebidas alcoólicas e do tabaco ou até mesmo de pequenas doses de drogas alucinógenas, quando antes não o fazia.

A foto mostra uma menina segurando a mão de um espírito na beira da praia.Tipos de obsessões

Foto: Shutterstock.com

Subjugações

Depois encontramos um grau de obsessão no qual o obsidiado perde todo o controle sobre si e passa a ser dominado por completo pelo espírito que o assedia. Estas são as chamadas subjugações. Importante considerar que para chegar a esse grau, quase sempre os processos anteriores já aconteceram e o obsidiado não se deu conta ou não aceitou um tratamento quando tudo lhe seria mais fácil.03

No estado de subjugação, o obsidiado precisa de tratamento de apoio, havendo em alguns casos a necessidade de internações. Importante considerar que as casas espíritas oferecem recursos por meio de suas várias terapias como o passe magnético, água magnetizada, conversas fraternas e reuniões mediúnicas onde o espírito obsessor pode ser esclarecido e encaminhado para tratamentos nos planos espirituais, deixando livre o seu alvo. Este tratamento é inteiramente gratuito nas casas espíritas que estão aparelhadas para oferecê-los, independente da crença religiosa de quem necessita.

A foto mostra uma mulher espírita em um lago olhando para cima com os braços abertos. Tipos de obsessões

Foto: Shutterstock.com

Auto-obsessão

Há ainda a auto-obsessão. É quando emergem lembranças de vidas passadas do subconsciente do indivíduo, como numa avalanche e a pessoa se sente presa a elas, falando coisas desconexas, autodesignando-se como importante personalidade do passado etc. Esses casos necessitam de urgente apoio. De novo indicamos as casas espíritas ou psicólogos ou psiquiatras que aceitem a ideia da reencarnação.

Geralmente os sintomas obsessivos começam com dificuldades de dormir, pesadelos, irritações exageradas, do achar que tudo está ruim, que está sendo perseguido por encarnados ou desencarnados. Audições de vozes estranhas, visões de fantasmas. Podem ainda surgir fobias que antes não possuía.

Depois de tratada e curada a obsessão, é importante que o médium inicie seus estudos espirituais evitando assim a reincidência. É de total importância considerar que um espírito obsessor só o é temporariamente. Na essência é um irmão ou irmã postos como nós na jornada evolutiva e não um “encosto” como se costuma dizer.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Alto Astral – Edição: Giovane Rocha

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.