Revolução Francesa: conheça a articulação popular que mudou a história

Quando o clero e a nobreza tentaram barrar o avanço popular, o Terceiro Estado se uniu arquitetou a tomada da Bastilha e deu início à Revolução Francesa

None
FOTO: Wikimedia Commons

por Redação Alto Astral
Publicado em 27/09/2016 às 13:47
Atualizado às 18:33

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Maio  de  1789, o início da Revolução Francesa, marco histórico que definiu a passagem do mundo da Idade Moderna para a Idade Contemporânea. Um  impasse  entre  os deputados travava a votação da Assembleia  dos  Estados-Gerais  na  França:  o Terceiro  Estado,  formado  pela  burguesia e pelos camponeses, em maioria numérica, queria a contagem de votos por cabeça, enquanto o clero e a nobreza (o Primeiro e o Segundo Estado, respectivamente) defendiam o recolhimento de três  votos apenas,  um  de  cada  ordem.

revolução francesa queda da bastilha

FOTO: Wikimedia Commons

“Como  clero  e  nobreza  representavam a  aristocracia,  votariam  sempre  unidos contra o Terceiro Estado”, explica o historiador  João  Francisco  Tidei  de  Lima, professor  aposentado  da  Universidade Estadual Paulista (Unesp). No dia 20 de junho,  uma  determinação  do  rei  Luís XVI  fechou  a  sala  de  reuniões.  O  Terceiro  Estado,  que  representava  96%  da população, não teve dúvidas: encontrou um outro local para se reunir (a sala de Jogos da  Péla)  e  se  declarou  Assembleia Nacional.

O  grupo  jurou  solenemente que  continuaria  reunido  até  que  o  país tivesse  uma  Constituição.  Em  segredo, articulou  a invasão e a tomada da  prisão  da  Bastilha, símbolo do Absolutismo, onde conseguiu armas e deu início, de fato, à Revolução Francesa.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação / Edição: Érika Alfaro / Consultoria: João  Francisco  Tidei  de  Lima, professor  aposentado  da  Universidade Estadual Paulista (Unesp)