ENTRETENIMENTO

Como surgiram os contos de fadas?

Uma mistura de culturas, enredos emocionantes e personagens fantásticos. Os contos de fadas fazem parte da vida de todos nós. Descubra suas origens!

None
IMAGEM: Divulgação

por Redação Alto Astral
Publicado em 24/08/2016 às 11:49
Atualizado às 18:15

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Antigamente, os contos de fadas eram passados de uma pessoa para outra através da fala, sem existir um registro dessas histórias. É difícil dizer exatamente há quanto tempo surgiram, mas acredita-se que antes do nascimento de Cristo. Descubra a origem das aventuras, que misturam culturas de povos diferentes e dão vida à criaturas fantásticas!

cinderella-e-fada-madrinha-carruagem-e-animais

IMAGEM: Divulgação

Irmãos encantados

Além de serem apenas passadas de boca em boca, as histórias tinham mais jeito de poesia do que do conto como conhecemos hoje. Foram os Irmãos Grimm que tiveram a ideia de reuni-las em um livro e tornar o texto mais fácil de entender. O livro Contos para Crianças e Famílias, publicado em 1812 e nunca deixou de ser um sucesso. Quer uma prova? João e Maria, Rapunzel, Branca de Neve e Chapeuzinho Vermelho saíram das páginas dele!

Veja também
Conheça a história dos famosos Irmãos Grimm
3 curiosidades sobre contos de fadas
Os melhores filmes live-action de contos de fadas

Conto sem fadas?

Pode acontecer. A palavra “fada” serve mais para dar um tom de magia à história do que chamar a atenção para um determinado personagem. O que todos os contos têm em comum é a forma como são escritos, que é a mais simples possível, a “batalha” entre a turma do bem e a do mal e, claro, a ligação com o mundo da fantasia.

princip-e-princesa-dancando-na-floresta

Cada conto, uma lição

Você já reparou que os contos sempre trazem algum tipo de lição importante? Na verdade, eles não foram criados para isso. A ideia era colocar o que o mundo dos adultos tinha de mais valioso e tentar explicar, por meio da magia, coisas que ninguém conseguia entender usando a razão. Acontece que as histórias encantadas faziam o papel de “educar” de um jeito tão divertido que não demoraram para conquistar as crianças.

Texto: Sabrina Cid/ Colaboradora. Revisão: Michelle Albuquerque