Connect with us

O que você está procurando?

Alto Astral
Atenção responsáveis: a alimentação é de extrema importância desde o desenvolvimento infantil até a fase adulta; nutricionista explica o que é prioridade
Priorize comidas de verdade no prato dos pequenos - Shutterstock

Saúde

Veja ingredientes que não podem faltar na alimentação infantil

Atenção responsáveis: a alimentação é de extrema importância desde o desenvolvimento infantil até a fase adulta; nutricionista explica o que é prioridade

[PAGE TITLE]

Que as crianças exigem cuidado redobrado, os papais e mamães de plantão já sabem. Mas, você sabia que essa preocupação é ainda maior quando falamos de alimentação infantil? Pois é! Ela influencia de forma significativa na vida adulta, e é por isso que certos ingredientes não podem faltar no prato dos pequenos. 

Ainda que a alimentação das crianças seja importante, nada de antecipar fases, tudo bem? E isso quem explica é a nutricionista e professora Carolina Böettge Rosa. De acordo com a especialista, o Guia Alimentar para crianças brasileiras menores de dois anos indica que o mais adequado e saudável a ser incluído nos pratos é a “comida de verdade”, iniciando pelo aleitamento materno exclusivo até os seis meses de vida.

“A partir dessa idade, a alimentação infantil deve ser rica em nutrientes, por isso o prato precisa ser bem variado. Arroz e feijão não podem faltar, pois essa combinação possui todos os aminoácidos essenciais de que precisamos. Além disso, o prato deve ter ainda uma outra fonte de proteínas, como as carnes, que também são fontes de ferro, zinco e vitaminas do complexo B”. A nutricionista completa: “Legumes, verduras e frutas irão garantir as fontes de vitaminas e minerais para a manutenção da imunidade, e quanto mais variado for esse grupo, melhor”, esclarece.

Introdução de alimentos: in natura, minimamente processados, processados ou ultraprocessados?

A alimentação infantil — assim como em qualquer idade — deve ter como base alimentos in natura ou minimamente processados. O arroz, o feijão, as frutas, os legumes e as verduras, a mandioca, o milho, as carnes e os ovos, são apenas alguns exemplos.

Já os alimentos processados industrialmente, como enlatados, queijos e conservas, devem ser limitados. “E, se forem consumidos, utilizados em pequenas quantidades”, indica Carolina. A especialista também complementa que alimentos ultraprocessados não devem fazer parte da alimentação em qualquer idade, em especial na infância, pois contêm quantidades excessivas de calorias, sal, açúcar, gorduras e aditivos.

Por isso, biscoitos, bolachas, sucos artificiais, refrigerantes, salgadinhos, macarrão instantâneo e outras guloseimas não devem ser oferecidos, pois de acordo com a nutricionista, não fazem parte de um padrão alimentar saudável.

Criança comendo alimento ultraprocessado
Alimentos ultraprocessados podem gerar problemas de saúde no futuro (Foto: Shutterstock)

 

 

“Alimentos ricos em açúcar e gordura, como os ultraprocessados, aumentam as chances de ganho de peso excessivo durante a infância e, consequentemente, o desenvolvimento de obesidade e outras doenças na vida adulta. Eles são formulados para serem extremamente saborosos, induzirem seu consumo frequente ou mesmo para criar dependência. Isso é particularmente crítico no começo da vida, pois a criança está formando a base de seu hábito alimentar. O consumo desses alimentos pode levá-la a ter menos interesse pelos alimentos in natura ou minimamente processados”, explica.

Dicas para estimular bons hábitos na alimentação infantil:

Introduzir uma alimentação saudável para os pequenos não é uma tarefa fácil, mas Carolina dá algumas dicas. No café da manhã, por exemplo, ela fala do leite e dos laticínios. “Como nosso costume é de beber leite na primeira refeição do dia, o leite integral ou fórmulas infantis podem ser oferecidos para os filhos no café da manhã (de acordo com a idade, e quando não houver intolerância ou alergias). Os laticínios (leite e derivados) são importantes fontes de cálcio e proteínas, além de favorecerem à saciedade. Cereais integrais, como aveia e pães são boas fontes de fibras, e as frutas fornecem vitaminas e minerais”.

Já as carnes e os laticínios integrais também são fontes de nutrientes importantes, como proteínas, ferro e cálcio. Porém, podem conter gorduras saturadas que, em excesso, contribuem para o sobrepeso e a obesidade. “De modo geral, o consumo excessivo de qualquer alimento deve ser evitado, pois do contrário pode causar diversos efeitos negativos”, finaliza.

Fonte: Carolina Böettge Rosa, nutricionista e professora do curso de Nutrição do Cesuca. 

 

Advertisement
Advertisement

Mais notícias interessantes como essa

Moda

Primeira referência quando pensamos na moda dos anos 2000, a calça de cintura baixa está de volta

Pets

Segundo especialista, a aromaterapia para pets consiste no uso de óleos essenciais em gotas, roll-on e até difusor para aliviar diversas condições

Beleza

As unhas peroladas da modelo, conhecidas como 'glazed donuts nails' são a nova tendência de beleza; aprenda a fazer

Finanças

Além de ajudar a realizar suas metas, o planejamento financeiro também possui outras funções importantes; confira quais são

Entretenimento

O mês de agosto se aproxima e com ele diversas novidades e lançamentos nas plataformas de streamings; confira alguns

Entretenimento

Será que existe elenco mais inseparável do que o de Stranger Things? Celebre o Dia do Amigo e inspire-se nas amizades que surgiram da série

Beleza

Além da sombra, o pincel chanfrado pode ajudar com outros retoques da maquiagem

Saúde

Especialista em nutrição dá cinco dicas para quem quer controlar a fome e, ao mesmo tempo, perder peso