Coma alimentos que se identificam com seu organismo e perca peso

Está no sangue: comer determinados alimentos que se identificam com seu organismo pode ajudá-la a perder peso e a prevenir doenças!

None
Foto: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 23/09/2016 às 19:17
Atualizado às 11:50

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Sim, é verdade! Existe uma dieta feita especialmente para cada tipo sanguíneo! Comer alimentos que se identificam com seu organismo não somente funciona como ajuda a evitar aquela incômoda sensação de empanzinamento, fadiga e outros sintomas da má digestão. Ficou curiosa, não é? Então prepare-se para saber detalhadamente todos os benefícios desse programa alimentar que, com certeza, tem tudo a ver com você.

Elementos sanguíneos

Foto: iStock.com/Getty Images

Como surgiu

Ao pesquisar a relação entre o sangue e certas doenças, na década de 80, o médico naturopata Peter J. D’Adamo descobriu que cada tipagem sanguínea tem uma predisposição a aceitar melhor determinados alimentos. Ele comprovou que uma combinação bem feita pode reforçar as defesas do organismo, combater o envelhecimento precoce, melhorar o metabolismo e proporcionar a perda de peso, já que auxilia o corpo a se livrar das toxinas e das gorduras indesejadas. Por sua vez, os alimentos incompatíveis com o tipo sanguíneo não conseguem ceder energia ao organismo, resultando em sonolência, indisposição e má digestão. A partir desse estudo criou-se a Dieta do Sangue, que significa basicamente comer apenas alimentos que se identificam com seu organismo. Isso não só facilita o emagrecimento como ajuda a prevenir diversas doenças.

A divisão

Nessa dieta, carnes, vegetais e laticínios foram divididos em alimentos positivos, negativos e neutros. Enquanto que os primeiros ajudam a prevenir doenças e a estimular o bom funcionamento do organismo, os segundos são considerados um veneno para o corpo. Já os neutros não fazem mal, mas devem ser consumidos com moderação. Pessoas do tipo O, por exemplo, têm facilidade para digerir carnes bovinas e de frango. Por outro lado, quem é do tipo A tem um organismo mais adaptado ao consumo de vegetais. O tipo B é capaz de consumir laticínios sem restrições, enquanto que o tipo AB pode comer uma série de alimentos mesclados entre os tipos A e B.

Você sabe se alimentar?

Não é segredo para ninguém que uma alimentação adequada é fundamental para quem quer perder peso e manter a saúde. E é exatamente isso que garante o sucesso da Dieta do Sangue, pois os benefícios duram por toda a vida e não há restrições a não ser o tipo sanguíneo. Em média, uma pessoa precisa consumir 35 calorias para cada quilo de seu corpo, resultando em cerca de 2.500 calorias diárias para homens e 2.000 calorias para as mulheres. Quando esse limite é ultrapassado, um hormônio chamado insulina trata de armazenar esse excesso em gordura. Se você consumir os alimentos que se identificam com seu organismo, aproveitará melhor os nutrientes, controlando a fome fora de hora. E se a vontade de comer estiver sob seu domínio, você consumirá bem menos calorias. O resultado? Quilinhos a menos na balança.

LEIA TAMBÉM

Texto: Viviane de Gênova/Colaboradora | Consultoria: livros A Dieta que está no Sangue, de Sérgio Teixeira, Editora Campus e A Dieta do Tipo Sanguíneo, de Peter J. D’Adamo, Editora Campus

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.