Operação Mosquito: a missão que quase matou um presidente do Brasil

Em 1961, a Operação Mosquito não somente se esforçou para alterar os rumos do país, como também tentou por fim à vida de João Goulart

None
Foto em preto e branco do ex-presidente João Goulart

por Redação Alto Astral
Publicado em 16/11/2016 às 06:00
Atualizado às 18:40

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Em 1961, a Operação Mosquito não somente se esforçou para alterar os rumos políticos do país, como também tentou por fim à vida de João Goulart.

Foto em preto e branco do ex-presidente João Goulart

Quando Jânio Quadros renunciou ao cargo de presidente em 25 de agosto de 1961, o vice João Goulart estava em compromissos oficiais pela Ásia. Assim, sob o contexto da polarização da Guerra Fria, no qual o mundo se dividia em esferas de influências de capitalistas e socialistas, a Força Aérea Brasileira foi coagida pela alta cúpula do exército a barrar o retorno de João Goulart ao país, visto que este era declaradamente comunista. Sob forte influência norte-americana, a missão foi batizada com o nome de “Operação Mosquito”.

Contudo, paralelamente a isso, o então governador do Rio Grande do Sul e cunhado de João Goulart, Leonel Brizola, organizou uma estratégia para o avião aterrissar na Uruguai. Assim, o novo presidente atravessaria a fronteira até Porto Alegre para só então se dirigir à Brasília e finalmente assumir o poder. Entretanto, Jango só entrou no país depois de negociar uma solução política para o impasse, que viria a ser a implantação do Parlamentarismo.

VEJA TAMBÉM