Retinol para o rosto: para que serve e como usar

Especialista em dermocosméticos explica os benefícios que o retinol traz para combater o envelhecimento da pele quando inserido na rotina de skincare

Com poderosa ação anti-idade, o retinol age nas rugas e flacidez
Com poderosa ação anti-idade, o retinol age nas rugas e flacidez - Shutterstock

por Thaís Lopes Aidar
Publicado em 22/03/2022 às 19:00
Atualizado às 19:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Provavelmente as mais antenadas em skincare já ouviram falar sobre o retinol. Ele vem ganhando cada vez mais força no mercado devido às suas principais funções: combater sinais de envelhecimento, promover a renovação celular e suavizar a aparência da pele. Ou seja, um verdadeiro tesouro para quem deseja investir numa rotina anti-idade

Com tantos benefícios, que tal conhecer um pouco mais sobre esse ativo e entender qual a melhor forma de usá-lo? Para isso, conversamos com a farmacêutica Ivanilde Itaborahy, especialista na produção de dermocosméticos. Confira: 

Alto Astral: O que é o retinol?

Ivanilde Itaborahy: O retinol é um ativo derivado da Vitamina A, consagrado na dermatologia por ser um dos mais indicados em formulações dermocosméticas para prevenção e tratamento dos sinais de envelhecimento cutâneo. Quando penetra na pele, se converte em ácido retinoico, sua forma ativa, que age no DNA das células aumentando as suas capacidades de renovação e atuando na produção de colágeno.

AA: Quais as principais funções desse ativo para a pele?

II: Seu principal benefício está associado ao estímulo da produção de colágeno e elastina — responsáveis pela resistência e elasticidade da pele —,  aumentando a firmeza e reduzindo as linhas finas, rugas e flacidez.  Além disso, promove renovação celular com leve efeito esfoliante, melhora a produção do ácido hialurônicoe contribui para o controle da oleosidade, cicatrização de cravos e espinhas, uniformização da pele e preenchimento das olheiras. 

AA: É indicado para quais tipos de pele?

II: É indicado para todos os tipos de pele, especialmente para as que apresentam flacidez cutânea e sinais de envelhecimento. No entanto, o retinol pode ocasionar sensibilidade e irritação na pele, por isso, é interessante associá-lo aos ativos hidratantes, antioxidantes, calmantes e anti-inflamatórios — principalmente no tratamento das peles sensíveis, reativas e com rosácea. Seu uso é contra-indicado por gestantes ou indivíduos com hipersensibilidade ao ativo.

AA: A partir de qual idade o retinol deve ser usado?

II: O uso é indicado na prevenção dos sinais de envelhecimento cutâneo, portanto, deve ser incluído no skincare quando a produção de colágeno natural reduz, por volta dos 20 anos. Lembrando que uma rotina antienvelhecimento fortalece as bases para uma pele com aspecto saudável antes que os danos apareçam.

AA: Nas etapas de skincare, quando ele deve ser inserido?

II: Por ser um ativo que também prepara a pele para receber o tratamento de outros dermocosméticos, é recomendado seu uso após o passo de limpeza facial e anterior à hidratação, podendo ser inserido na rotina noturna (mais recomendada) e/ou diurna. Porém, por ser fotossensível, seus efeitos podem ser prejudicados pela exposição aos raios solares, além de poder causar irritação e, eventualmente, manchas na pele sem o uso concomitante de um protetor solar.

AA: Em quais dermocosméticos o retinol costuma estar presente? 

II: Fórmulas anti-idade facial e corporal, clareadoras, renovadoras, revitalização da região dos olhos, controle da oleosidade e acne. 

Fonte: Ivanilde Itaborahy, farmacêutica especializada na produção de dermocosméticos da Dermatus

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.