Afinal, existe uma frequência de sexo recomendada?

Existem boatos de que o acordo entre Jennifer Lopez e Ben Affleck exigia sexo quatro vezes por semana. Mas na vida real, será que essa frequência existe?

Jennifer Lopez e Ben Affleck reataram o noivado após 18 anos
Jennifer Lopez e Ben Affleck reataram o noivado após 18 anos - Crédito: Instagram/@benaffleckoficiall

por Loyane Lapa
Publicado em 13/05/2022 às 22:00
Atualizado às 22:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Antes de mais nada, você já se fez essa pergunta algum dia? Ou passou a fazê-la desde que saíram boatos de que o acordo pré-nupcial de Jennifer Lopez e Ben Affleck envolvia uma cláusula que exigia uma frequência de sexo quatro vezes por semana? Pois é.

Essa suposta exigência tem muito mais a ver com a proteção ao patrimônio da cantora — de nada mais, nada menos que US$ 400 milhões — do que com evidências científicas. 

Agora, se você ficou está com dúvidas a respeito de uma frequência sexual recomendada, nós podemos te ajudar, afinal, existem muitos estudos que falam sobre esse assunto. Porém, vale lembrar que quantificar as relações sexuais não são uma boa estratégia de parâmetro para avaliar um relacionamento, tudo bem?

Frequência sexual entre idades:

Um estudo realizado pelo Instituto Kinsey para Pesquisas em Sexo, Gênero e Reprodução, dos Estados Unidos, conseguiu a chegar a algumas respostas relacionadas a esse assunto. Confira abaixo:

  • jovens entre 18 e 29 anos: 3 vezes por semana;
  • adultos entre 30 e 39 anos: 1,6 vezes por semana;
  • pessoas entre 40 a 49 anos: 1,3 vezes por semana. 

Para quantificar esse número, a instituição fez a contagem do número de relações sexuais realizadas durante o ano e dividiu esse total pela quantidade de semanas.

Nesse sentido, é possível perceber que conforme o avanço da idade, o número de relações vai caindo. Entre o grupo de jovens e adultos de 40 a 49 anos, por exemplo, essa frequência de sexo cai em pouco mais da metade

De acordo com a pesquisa, essa redução mostra que obrigações familiares, estresse diário e a perda de disposição física e mental influenciam na queda de frequência sexual.

Outro fator que influencia nesse número é o casamento. Cerca de 34% dos casados têm relações sexuais entre duas ou três vezes por semana; 45% fazem sexo algumas vezes por mês e 13% praticam a atividade apenas algumas vezes por ano...

Mas e com mulheres, como fica essa questão?

Mesmo que pesquisas apontem uma redução da prática sexual conforme o avanço da idade, para muitas mulheres isso funciona de um jeito diferente, viu? Pesquisas apontam que a vida sexual de mulheres melhoram com o passar dos anos e, para isso, há fatores como a autoconfiança e a comunicação com o parceiro em comparação com os primeiros anos de atividade sexual.

Esse resultado revela que, para o sexo feminino, a prática sexual está mais ligada ao lado emocional e a intimidade do que a frequência do sexo em si. Ou seja, a quantidade de vezes que essa atividade é praticada não influencia na sensação de felicidade.

Então existe uma frequência de sexo recomendada?

Não! Ela não existe. Porém, a conclusão dessas pesquisas quantitativas de sexo é que as pessoas não devem se preocupar em quantidade, mas sim na qualidade. Até porque, o sexo mediano praticado muitas vezes por semana pode levar a insatisfação. Enquanto isso, pessoas que praticam sexo de qualidade com menos frequência podem estar muito mais felizes, mesmo com menos tempo reservado para isso. 

A conclusão é: não caia na cilada de acreditar que praticar sexo várias vezes na semana representa felicidade, ok? Às vezes, é muito melhor prezar pela qualidade e não pela quantidade! Desencane desses mitos e viva sua vida sexual de forma sadia, sendo sozinha ou acompanhada. O importante é sentir prazer e estar feliz consigo mesma!

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.