Tempo seco: 4 cuidados para melhorar a saúde respiratória

Com a elevação das temperaturas, aumentam os casos de desidratação, sangramento nasal, rinites e sinusites

Saiba como lidar com o tempo seco
Saiba como lidar com o tempo seco - Shutterstock

por Thaís Lopes Aidar
Publicado em 20/08/2021 às 12:00
Atualizado às 12:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Na última semana, a onda de frio que pairava sobre o país há quase um mês deu lugar às elevações da temperatura. Com os termômetros chegando a marcar até 35° graus no centro-oeste brasileiro, as regiões passaram a enfrentar problemas com a umidade relativa do ar que baixou como consequência do calor. 

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o índice ideal para a saúde é entre 50% e 60% e considerado estado de alerta quando está abaixo de 20%. Os dias quentes, porém, culminaram na queda da umidade, principalmente onde o calor foi mais intenso, como em Cuiabá (MS), chegando aos 10%. 

Hoje (19), o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) decretou alerta laranja para a baixa umidade, advertindo para os riscos incêndios florestais e problemas de saúde, como ressecamento da pele, olhos, boca e nariz. 

"Quando a mucosa nasal fica ressecada, leva a microfissuras que podem sangrar. Além disso, outra consequência do tempo seco é que ele afeta as defesas respiratórias, nos deixando mais suscetíveis às gripes, rinites, sinusites e resfriados", ressalta a otorrinolaringologista Maura Neves, membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia. 

O sangramento nasal, embora comum, causa bastante espanto quando ocorre. De acordo com a especialista, o quadro tende a se resolver sozinho, mas requer atenção especial e auxílio médico quando os pacientes já apresentam perda profunda de sangue, usam anticoagulantes ou anti-hipertensivos ou têm algum problema de saúde. 

Lidando com o tempo seco

Maura destaca 4 medidas que podem amenizar os desconfortos propiciados pela baixa umidade e até mesmo evitá-los. Confira!

1. Beba água

Com o aumento das temperaturas e ressecamento, o nariz e a garganta tenderão a ficar mais ressecados. Assim, hidratação deve acontecer de dentro para fora e cada pessoa deve beber, em média, dois litros de água diariamente (a ingestão ideal é calculada por um nutricionista com base no peso e altura do paciente). 

2. Use umidificadores

"A principal função do nariz é umidificar, filtrar e aquecer o ar que inalamos e, quanto mais seco ele estiver, maior será a demanda da mucosa nasal para conseguir exercer sua função. Os umidificadores umidificam o ar inalado, reduzindo o ressecamento", explica a otorrinolaringologista. 

3. Exercite-se na hora certa

O calor e a baixa umidade não impedem a prática de atividades físicas, porém, é preciso fazê-las em horários que as temperaturas estejam mais amenas e o ar mais úmido para evitar desconfortos e mal-estar. Além disso, lembre-se de se manter hidratada durante o exercício, viu?

4. Lave o nariz com soro fisiológico

Lavar o nariz com a solução ajudará a prevenir o ressecamento e hidratá-lo. "A lavagem deve ocorrer três vezes ao dia para prevenção e até seis vezes diárias em caso de doenças respiratórias. Se o desconforto ainda persistir, opte pelo soro em gel", orienta Maura. 

Quando buscar ajuda médica? 

Apesar de os desconfortos serem comuns durante essa época, a especialista elenca alguns sintomas que são considerados sinais para a ida ao médico, como nariz entupido, espirros, coriza, tosse seca, falta de ar e rouquidão. Na presença de alguma dessas condições, busque orientação de um profissional para avaliação e tratamento corretos. Nunca se automedique. 

Fonte: Maura Neves, otorrinolaringologista da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF). 

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.