É possível desenvolver o ouvido absoluto? Descubra!

Mesmo podendo ser uma capacidade natural, é possível desenvolver o ouvido absoluto com bastante treinamento. Entenda como!

None
FOTO: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 01/02/2017 às 08:58
Atualizado às 14:59

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Assim como boa parte das habilidades que dependem do cérebro, o ouvido absoluto pode ser alcançado desde que por meio de muita prática. “É um processo lento e gradual. Mas, mesmo que não consiga o ouvido absoluto, o treino proporciona uma grande evolução da percepção”, explica o músico Bernardo Baeta, que desenvolveu um aplicativo para o treinamento do ouvido absoluto.

Para ele, “o melhor método é o harmônico, ou seja, notas tocadas juntas, e a pessoa separa mentalmente para tentar identificá-las. Um treino de notas simples antes pode ser interessante”.

cerebro fone ouvido absoluto

FOTO: iStock.com/Getty Images

Mas, se a ideia de passar horas ouvindo e identificando notas aleatórias parece muito cansativa para você, um professor da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, arrumou uma forma de facilitar o processo. Sua pesquisa se baseou no uso de um antiepiléptico e a capacidade da pílula em despertar novamente no cérebro a mesma capacidade de aprendizado apresentada pelas crianças.

Cérebro absoluto

Apesar de ser conhecido no meio musical, o ouvido absoluto começa a despertar interesse da ciência. Uma das primeiras descobertas é a de que a habilidade não é necessariamente inata: é um poder adquirido por meio de longo treinamento, desde que iniciado ainda na infância.

Mas é claro que, mesmo com treino, nem todos conseguem atingi-la. Segundo especialistas, nem todos que praticam conseguem obter o ouvido absoluto, mas ninguém o alcança sem se exercitar.

A diferença entre quem pratica música e leigos está, basicamente, no cérebro. Os sinais sonoros recebidos pelos ouvidos são enviados ao lobo temporal. Não seria loucura, então, afirmar que essa área é mais desenvolvida em músicos.

Uma pesquisa realizada na Alemanha observou que os cérebros de musicistas possuem o lobo temporal esquerdo até duas vezes maior que os de pessoas comuns. Entre os portadores da habilidade sonora, a região era ainda mais desenvolvida.

LEIA TAMBÉM

Texto e entrevista: Augusto Biason/Colaborador – Edição: Giovane Rocha/Colaborador

Consultoria: Bernardo Baeta, publicitário, músico, pianista e criador do projeto Ouvido Absoluto

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.