RECEITAS

Receitas de sal de ervas para diminuir o consumo de sódio nas refeições

Invista em temperos naturais para manter a saúde em dia, sem prejudicar o seu paladar, com as receitas de sal de ervas simples e rápidas de fazer

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/08/2020 às 13:10
Atualizado às 13:35

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Sabe aquele bom tempero que todo mundo gosta? Está aí uma das principais causas de hipertensão no país, que já atinge 24,7% da população brasileira, de acordo com a Vigitel, no senso de 2018. Mas, saiba que é possível manter a saúde sem prejuízo ao paladar. Além de investir em ingredientes naturais, uma dica é preparar uma receitas de sal de ervas.

Trata-se de uma mistura bem simples, que evita o consumo puro de sódio, acrescentando os benefícios das plantas a sua composição. O melhor dessa opção é que cada pessoa pode investir em um tipo, levando em consideração a sua preferência, gostos e desejos. Além disso, caem bem com todos os pratos, sem qualquer alteração no sabor.

Temperos naturais que dão sabor

O consumo de sal e temperos prontos estão muito presentes na culinária dos brasileiros. Esses produtos são ricos em sódio e ainda podem deixar o paladar viciado. No entanto, quem busca uma vida mais saudável pode investir numa reeducação alimentar e apostar nos temperos naturais. Especialistas garantem que esse processo pode demorar até três meses, que é o tempo que a região do paladar que identifica o salgado leva para se acostumar ao real gosto dos ingredientes.

Enquanto isso, uma dica é apostar em itens como cebola, alho, manjericão, salsinha, cebolinha, vinagrete, limão, hortelã, coentro, orégano, pimenta-do-reino, sálvia, alecrim e gengibre que, além de serem mais saudáveis, dão um toque todo especial ao prato e agregam em nutrientes.

Receitas de sal de ervas (sal temperado)

1. Manjericão

  • 1 xícara (chá) de sal grosso
  • 1 xícara (chá) de orégano
  • 1 xícara (chá) de alecrim
  • 1 xícara (chá) de estragão

2. Alho e cebola

  • 1 pacote de alecrim (5g)
  • 1 pacote de manjericão (5g)
  • 1 pacote de orégano (5g)
  • 1 pacote de salsa (5g)
  • 1 colher de sopa de alho em flocos (10g)
  • 1 colher de sopa de cebola em flocos (10g)
  • 4 colheres de sopa de sal (40g)

3. Nós moscada

  • 1 colher (de chá) de noz moscada
  • 1 xícara (de chá) de sal grosso
  • 1 colher (de sopa) de alecrim
  • 2 colheres (de sopa) de tomilho
  • 2 colheres (de sopa) de manjericão
  • 2 colheres (de sopa) de orégano

4. Limão

  • 1 colher (chá) de manjericão
  • 1 colher (chá) de orégano
  • 1 colher (chá) de raspas da casca do limão
  • 4 colheres de sal (marinho ou light)

5. Salsinha

  • 2 colheres (sopa) orégano
  • 2 colheres (sopa) manjericão
  • 2 colheres (sopa) alecrim
  • 2 colheres (sopa) salsa desidratada
  • 4 colheres de sal (marinho ou light)

6. Ervas variadas

  • 1 colher (sopa) de manjericão
  • 1 colher (sopa) rasa de salsinha
  • 1 colher (sopa) de orégano
  • 1/2 colher (sopa) de tomilho
  • 1 colher (sopa) de sal

Modo de preparo para todas as receitas

Bata no liquidificador todos os ingredientes. Guarde em um pote fechado em temperatura ambiente. Pode ser adicionado sobre o cozimento ou para temperar o alimento já pronto.

Benefícios do sal de ervas

“Assim como muitos minerais, o sal de ervas tem um papel fundamental no metabolismo celular, como a transmissão do impulso nervoso, participa nas contrações musculares, no equilíbrio ácido-básico e na absorção de nutrientes pelas células”, explica o nutricionista Hugo Comparotto.

Dependendo do tipo de planta utilizada, a mistura pode contar com propriedades antioxidantes e calmantes, que beneficiam na erradicação de bactérias e vírus presentes no organismo. Além, é claro, de diminuir consideravelmente o consumo excessivo de sódio por dia.

Perigos do consumo excessivo de sal

O grande risco do consumo excessivo de sódio é desenvolver problemas cardiovasculares, como a hipertensão. O mineral faz com que o volume do sangue aumente, elevando a pressão arterial e sobrecarregando o coração. O excesso da substância também leva a um descontrole nas concentrações e excreções de outros minerais, como potássio e cálcio. Esses distúrbios contribuem para o surgimento de doenças, como osteoporose e pedras no rim.

Segundo a nutricionista funcional Helouse Odebrecht, o consumo excessivo de sal promove a retenção de líquidos no corpo, dando origem ao edema corporal, ou o famoso inchaço. “A sensação é de aumento de peso e medidas”, afirma. Isso acontece porque, com o desequilíbrio do nutriente no organismo, o corpo tenta diluir a quantidade em excesso, resultando em mais água dentro dos vasos sanguíneos.

Além disso, seu abuso no dia a dia pode ser o gatilho para doenças autoimunes, como esclerose múltipla e diabetes tipo 1, segundo pesquisa realizada pela Universidade de Yale, nos Estados Unidos.

Quantidade certa

Se o pacote de sal acaba rápido na sua casa, é um sinal de alerta! Apenas 1 kg de sal iodado é suficiente para suprir uma família de 4 pessoas durante 50 dias. Para manter a saúde, a quantidade indicada para pessoas saudáveis é de apenas 5g de sal por dia, segundo a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), o que equivale a 2g de sódio.

O brasileiro consome, em média, 4,46 gramas de sódio todos os dias, o que corresponde a 11,38 gramas de sal, mais que o dobro do recomendado. Portanto, a palavra de ordem é moderação. Além de buscar por alternativas naturais, como a receitas de sal de ervas, por exemplo.

Leia também: