Você sabia que existem vários tipos de médiuns? Descubra a seguir

Que virtudes caracterizam as pessoas que se comunicam com os espíritos? É possível desenvolver essa habilidade? Descubra na matéria a seguir!

None
Foto: iStock

por Redação Alto Astral
Publicado em 31/10/2016 às 09:24
Atualizado às 12:50

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Inspirações extraordinárias, bons conselhos que ajudam a cumprir uma tarefa, avisos de perigo iminente, emoção à flor da pele diante de um sofrimento… A mediunidade pode se manifestar de muitas maneiras.

Mas que características as pessoas que se comunicam com os espíritos têm? É necessário algum dom especial? Será que podemos desenvolver essa habilidade? Como identificá-la? Essas dúvidas são muito comuns, mas a Doutrina Espírita traz as respostas. Confira!

Mulher com a mão no rosto e pensativa. Ao fundo uma parede roxa.

Foto: iStock

Tipos de médiuns

No livro O que é Espiritismo, ao explicar os fenômenos que deram origem aos seus estudos, Allan Kardec descreve três tipos de médiuns de forma bem clara: audientes, que têm a faculdade de ouvir os espíritos e conversar com eles; videntes, que conseguem ver os desencarnados; e, também, escreventes, que transcrevem de modo involuntário, sob a influência espiritual.

Também há o médium de apoio, que auxilia a manter a boa energia das pessoas e o astral livre de más influências, mas que não, necessariamente, comunica-se com espíritos. Em O Evangelho Segundo o Espiritismo, Kardec também cita pessoas com o dom de auxiliar a cura: “O médium curador transmite o fluido salutar dos bons espíritos”. O médium também pode ser intermediário dos espíritos durante o sono. Um desses fenômenos é conhecido como sonambulismo. Ele pode ou não se lembrar de seus atos e pensamentos durante aquela intervenção mediúnica.

Como aprimorar sua habilidade de médium?

“O verdadeiro espírita não é aquele que crê nas manifestações, mas aquele que aproveita o ensinamento dado pelos espíritos.” Essa máxima kardecista também pode ser aplicada para o aperfeiçoamento da mediunidade. É essencial a conscientização sobre os dons espirituais, mas o médium deve se aprimorar constantemente, estudar e desenvolver suas potencialidades, aptidões e sua espiritualidade. Uma das funções de quem tem a mediunidade é contribuir para o desenvolvimento de outros espíritos “encarnados ou desencarnados. Por isso, precisam conhecer profundamente a Doutrina Espírita, a natureza dos espíritos e fenômenos por eles causados, pois, assim como na Terra há pessoas más, também há espíritos zombeteiros, malfeitores e obsessores ” os que não conseguem superar seus defeitos, são muito apegados à matéria ou praticaram o mal na última encarnação, por exemplo.

LEIA TAMBÉM

Texto e pesquisa: Silmara Freitas/Colaboradora
Edição: Thomás Garcia e Júlia Martins/Colaboradores | Design: Deicimar Dias