ESTILO DE VIDA

Quando surgiu o costume de se tirar o chapéu para alguém?

O costume de tirar o chapéu como um ato de respeito realmente se originou com os cavaleiros da Idade Média ou é mais antigo do que se imagina?

None
Foto: Reprodução

por Redação Alto Astral
Publicado em 25/11/2016 às 06:00
Atualizado às 15:03

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

É comum considerar que o costume de tirar o chapéu se originou na Idade Média, quando os cavaleiros tinham que erguer as viseiras de seus capacetes, ou tirá-los, como sinal de suas intenções pacíficas.

Foto em preto e brnco de um homem tirando o chapéu

Foto: Reprodução

Apesar de essa ser a teoria mais popular, assim como acontece com muitos outros assuntos de etiqueta, não há evidências concretas que possam comprovar isso. O costume teria sido ampliado e logo soldados e civis começaram a levantar ou tirar o chapéu como um ato de respeito a seus superiores. Pode ser uma boa hipótese, mas a autoridade bíblica sobre o assunto vai muito mais longe. Isso porque, na primeira epístola aos Coríntios, o apóstolo Paulo exorta os homens para que orem com as cabeças descobertas, enquanto instrui mulheres a cobrirem suas cabeças.

Tirar ou dar uma leve erguida no chapéu se tornou sinal de respeito para com as damas. A altura em que o Luís XIV erguia seu chapéu para as mulheres refletia sua condição: quanto mais alto o gesto mais nobre a dama. Na Europa e nos EUA do século 19 e início do 20, a etiqueta atingiu seu apogeu e muitas vezes funcionava como uma maneira de cumprimentar um conhecido sem ter que parar.

Era recomendável também que os homens tirassem seus chapéus durante a execução do hino nacional, quando passava um funeral, e em ambientes fechados – supostamente um costume medieval também, uma vez que tirar o capacete na casa de outra pessoa significava que você não iria saquear nem incendiar o local. Já as mulheres não tiravam seus chapéus nem em ambientes fechados – o que era conveniente, pois os chapéus eram mantidos através de vários grampos, em elaborados arranjos.

VEJA TAMBÉM