Relacionamento aberto: 4 coisas que todo mundo precisa saber

Esse estilo de relação é para você? Especialista lista alguns fatores para levar em consideração se vem cogitando colocar em prática

Você é a favor da monogamia ou do poliamor?
Você é a favor da monogamia ou do poliamor? - Shutterstock

por Julia Natulini
Publicado em 02/01/2022 às 20:00
Atualizado às 20:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Você é a favor da monogamia ou do poliamor? Essa escolha pode fazer toda a diferença na decisão do tipo de relacionamento que pretende encarar e se está disponível para incluir uma terceira (quarta, quinta, sexta…) pessoa na sua vida.

Recentemente a vencedora do BBB 2021 Juliette disse em entrevista à revista “Marie Claire” que ainda não está preparada para um relacionamento aberto. “Talvez eu evolua tanto que chegue a esse ponto”, afirmou. 

Será que você já chegou nessa fase? O psiquiatra e terapeuta sexual Eduardo Perin, esclarece alguns pontos importantes sobre os quais todo mundo deveria refletir antes de abrir a relação. Confira:

Crie um “contrato” para a relação

Não se trata de um documento assinado e reconhecido no cartório, mas de acordos combinados. Para qualquer relacionamento afetivo existem regras e limites, não é mesmo? E quando a opção é abrir os leques de oportunidades sexuais, tudo precisa estar muito bem ajustado para não ter sofrimento de nenhuma das partes. Defina se a parceria vai poder sair sozinha com outra pessoa ou apenas quando ambos estiverem juntos e mais do que isso deve-se levar em consideração duas perguntas: será apenas sexo com uma terceira ou quarta pessoa sem envolvimento ou será permitido desenvolver uma ligação afetiva?

Nem sempre o relacionamento aberto é mais saudável

Há uma certa ilusão de que o relacionamento monogâmico cai na rotina e o sexo começa a ficar sem graça. Mas nem todos estão prontos e preparados ou querem ter um relacionamento aberto para acabar com a monotonia. Isso também precisa ficar muito claro. Ambos precisam ter o mesmo objetivo, pois onde um não quer não tem como seguir com o poliamor.

Tanto os relacionamentos a dois como a três ou a quatro precisam entrar em um senso comum. Portanto, saiba que ao optar pelo relacionamento aberto existem alguns riscos, como o causar ciúmes em um dos envolvidos na relação. Muitas vezes você pode querer encontrar a pessoa e ela simplesmente não estará disponível para você - isso pode causar alguma decepção e frustração. Logo, segundo Eduardo Perin, o melhor a se fazer é criar realmente as regras que deixem os dois felizes.

Passe a confiança e confie em quem está partilhando essa decisão com você

Alguns casais que abrem a relação podem guiar a decisão apenas pelo desejo carnal. Já em outros casos, há quem tenha vontade de ter mais amores e envolvimentos. Tanto em um caso como no outro, ambos precisam confiar na parceria para que, embora entrem novas pessoas, os dois estejam sempre conectados e não dêem espaço para uma possível troca. 

Sentimento de culpa

Se você não se vê nesse tipo de relacionamento, mas a sua parceria possui curiosidade, o ideal é expor o que de fato pensa. Seja honesta consigo mesma, avalie se será confortável para você ver aquela pessoa que sempre esteve disponível de repente não estar mais. Há também quem não sente interesse apenas por uma pessoa e desde sempre escolher se relacionar com pelo menos duas ao mesmo tempo. Neste caso, também está tudo bem e o que vale é se sentir bem independentemente do tipo de relacionamento.

Fonte: Eduardo Perin, psiquiatra pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e especialista em sexualidade pelo Instituto Paulista de Sexualidade (InPaSex).

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.